Eulália Isabel Coelho propõe um olhar mais intimista no livro "Histórias que te conto", que lança nesta quinta, em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Literatura14/09/2017 | 10h00Atualizada em 14/09/2017 | 10h00

Eulália Isabel Coelho propõe um olhar mais intimista no livro "Histórias que te conto", que lança nesta quinta, em Caxias

A obra é uma compilação de dramas cotidianos, que serve para aproximar os leitores do universo retratado  

Eulália Isabel Coelho propõe um olhar mais intimista no livro "Histórias que te conto", que lança nesta quinta, em Caxias Luiz Erbes/Divulgação
Foto: Luiz Erbes / Divulgação

A escritora caxiense Eulália Isabel Coelho prefere se apresentar simplesmente como Biba. Formada em jornalismo, já publicou as obras Jogo do imaginário em Caio F, análise sobre a intersecção entre jornalismo e literatura, e O imprevisto, sua estreia como contista. Em Histórias que te conto (Chiado Editora, 158 págs., R$ 35), livro de contos que lança e autografa hoje no Arco da Velha, em Caxias, Biba busca uma abordagem mais intimista, onde as curtas narrativas que percorrem as páginas partem sempre da perspectiva não apenas do corpo, mas da alma humana. Os personagens que a autora retrata vivem e se comportam no mundo real ao redor de pequenos fatos cotidianos que, no fim de cada leitura, levam o leitor repetidamente à mesma busca.

— É uma busca pela finitude humana. Os personagens procuram sempre alcançar um outro lugar. As histórias não têm grandes acontecimentos, elas ocorrem dentro do personagem, muito mais do que fora — explica Biba. 

A partir do constante sentimento de insatisfação vivido pelos personagens, geralmente criado através das angústias e paranoias tipicamente humanas, a escritora expõe o leitor a um confronto com os sentimentos mortais mais íntimos, como o ódio e a melancolia, que se apresentam quase invisíveis, mas são capazes de moldar e guiar ações que, em primeira análise, se apresentam sem propósito. Esse compilado de dramas cotidianos e interiores dá um ar simples aos contos, pela normalidade das situações, porém profundo, pelas consequências interiores que elas trazem, e cria um lugar de reconhecimento que conversa com qualquer pessoa que já tenha sentido parte dessas dúvidas e insatisfações. 

Exatamente como conta o prefácio feito pela escritora Adriana Antunes, a obra traz "uma porção de cada um de nós, nós que somos iguais e comuns, com as mesmas angústias e alegrias das personagens", e trabalha de forma sensível cada pequeno detalhe que forma as relações humanas, tanto externa quanto internamente. Biba, inclusive, torna-se, de certa forma, personagem de si mesma, pois, ao tratar de sentimentos, trata também da sua própria forma de sentir:

— Escrever é a minha forma de expressão maior, como eu consigo compreender o mundo, a existência, os meus próprios sentimentos e os sentimentos que permeiam a vida das pessoas. Isso faz com que eu perceba a essência do ser humano, aquilo que há de mais intrigante nele.

Apesar de estar lançando o  segundo livro de contos, a autora adianta que já está trabalhando em seu primeiro romance:

— O espaço dos contos foram suficiente para mim até agora. Mas eu quero ir além.

Agende-se

O quê: lançamento e sessão de autógrafos do livro Histórias que te conto, de Eulália Coelho

Onde: Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Dr. Montaury, 1.570)

Quando: hoje, às 18h.

Quanto: entrada gratuita.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros