Programa Rumos, do Instituto Itaú Cultural, abre inscrições para o edital 2017/2018 - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Financiamento28/08/2017 | 18h00Atualizada em 28/08/2017 | 18h00

Programa Rumos, do Instituto Itaú Cultural, abre inscrições para o edital 2017/2018

Previsão de investimento para o edital público do Instituto Itaú Cultural é de R$ 15 milhões. Inscrições já estão abertas 

Programa Rumos, do Instituto Itaú Cultural, abre inscrições para o edital 2017/2018 Agencia Ophelia/Divulgação
Foto: Agencia Ophelia / Divulgação

Uma das principais plataformas de fomento à produção artística e cultural do Brasil, o programa Rumos, do Instituto Itaú Cultural, lançou nesta segunda-feira a sua 18ª edição, com investimento previsto de R$ 15 milhões (valor semelhante ao último edital). O período de inscrições de projetos abriu a meia noite de terça-feira e segue até 3 de novembro. Neste ciclo, o programa quer priorizar a diversidade brasileira. Não por acaso, o evento de lançamento do edital, realizado ontem na sede do instituto, em São Paulo, contou com mais de 50 jornalistas vindos de todos os estados do país.

— Muitas vezes a gente escuta que o belo é o novo, que é o belo é a fronteira, mas para nós o belo é a diversidade. A possibilidade de fazer intersecções, romper fronteiras desde a formação da comissão até a elaboração dos projetos, que não pede parágrafos e artigos, mas sim traz 30 perguntas a serem respondidas. Também é muito relevante a possibilidade da nossa equipe visitar todas as capitais para conversar, trocar ideias e prestar esclarecimentos presencialmente a cada interessado — destacou Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural.

Dentro da intenção de privilegiar a diversidade, uma das novidades do edital 2017/18 é a atenção diferenciada a 10 capitais — todas elas do Norte ou Nordeste — que apresentaram menores índices de projetos inscritos ou aprovados nos últimos anos. Nestes lugares, além das caminhadas — que ocorrem em todas as capitais — haverá debates no sentido de apurar o olhar:

— Não se trata de beneficiar esses estados com mais recursos, mas dar a eles uma escuta privilegiada no sentido de fazê-los se se aproximar do programa, discutir a cena e identificar demandas, dificuldades e desejos. São locais onde identificamos adesão baixa ao programa por muitos motivos, como isolamento, falta de investimento público ou de informação. O principal critério para seleção continua sendo a percepção meritocrática, mas ela só se justifica considerando a especificidade de cada lugar — acrescentou o diretor.

Em 20 anos, o programa Rumos recebeu 52 mil inscrições e contemplou mais de 1,4 mil projetos de artes visuais, cinema, dança, educação, literatura, teatro e pesquisa, entre outras formas de expressão cultural. Desde a edição mais recente, não há valor mínimo ou máximo para os projetos.

— O orçamento, assim como o período de realização, é necessário constar na inscrição, mas não deve ser a primeira preocupação. Ele pode ser discutido e readequado nas fases seguintes — explicou a gerente de comunicação do Itaú Culturak, Ana de Fátima Sousa.

Mais do que apoiar, o objetivo é estabelecer com a classe cultural parcerias em que uma ampla equipe de profissionais possa auxiliar na melhor elaboração das propostas. O último edital teve 117 projetos contemplados, sendo três deles oriundos ou tendo o Rio Grande do Sul como região impactada. Desde o primeiro edital, em 1997, foram cerca de 30 projetos selecionados de artistas gaúchos, a maioria deles nas áreas de música e jornalismo cultural.

A inscrição no Rumos é gratuita e deve ser feita exclusivamente em rumositaucultural.org.br. O resultado será divulgado até 28 de maio do ano que vem.

* O jornalista viajou a convite do Itaú Cultural.

Inclusão

A edição 2017/2018 do Rumos traz pela primeira vez ferramentas digitais de acessibilidade que permitem que surdos e cegos participem do edital.



 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros