Festival de Gramado: Soledad Villamil recebeu kikito de cristal - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Festival de Cinema25/08/2017 | 10h25Atualizada em 25/08/2017 | 11h46

Festival de Gramado: Soledad Villamil recebeu kikito de cristal

Expectativa desta sexta é a chegada de Dira Paes, que será homenageada com o Oscarito

Festival de Gramado: Soledad Villamil recebeu kikito de cristal Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Se encaminhando para a reta final da programação, a noite de quinta-feira no 45º Festival de Cinema de Gramado foi marcada pela presença da atriz argentina Soledad Villamil. Ela veio à Serra para receber o kikito de cristal, honraria entregue a importantes figuras do cinema latino e que reforça o perfil internacional do festival. Solledad é mais conhecida do público por sua interpretação no longa "O Segredo dos Seus Olhos", que venceu o Oscar de Filme Estrangeiro em 2010.

Ao subir no palco para receber o kikito, a atriz foi surpreendida com um vídeo com depoimentos de amigos e colegas de profissão. A surpresa, aliás, contou até com a participação de Ricardo Darín, maior astro do cinema argentino com quem Soledad dividiu cena em "O Segredo dos Seus Olhos".

Leia mais
Gramado: "A Cocanha", de José Clemente Pozenato, será adaptado para o cinema
Aplaudido de pé, Antonio Pitanga recebe Troféu Cidade de Gramado


— Isso supera qualquer expectativa que eu poderia ter sobre esse momento. Isso resume muito momentos de minha vida e quero compartilhar com vocês uma recordação. Quando eu era pequena, nos anos 1970, um período muito obscuro da ditadura militar argentina, eu e minha família tivemos a oportunidade de vir para o Brasil. Aqui significava ar, respirar, liberdade. Eu e as outras crianças não nos entendíamos com as palavras, mas brincávamos e, muitos anos depois, no ano passado, me convidaram para fazer um filme no Brasil. Quando cheguei, me encontrei com um grupo de adultos, mas se abriram comigo à amizade, ao carinho da mesma maneira que se abriram aquelas crianças na minha infância.

Soledad ainda defendeu as co-produções entre o Brasil e os países latinos.

— A semente está aqui, no encontro entre seres humanos argentinos e brasileiros que podem brincar com liberdade, fazendo cinema ou qualquer arte de que seja — disse a atriz e cantora, que depois ainda deu uma palhinha de sua bela voz cantando à capela.

Outro ponto alto da noite foi a estreia do longa "Bio", dirigido por Carlos Gerbase e que desponta como um dos favoritos da premiação que ocorre neste sábado. O elenco, formado por 39 atores, lotou o palco do Palácio dos Festivais. O longa é uma espécie de falso documentário que remonta a história de um homem com depoimentos das pessoas mais importantes que passaram por sua vida.

— Quero que esse filme leve uma assinatura coletiva. Foi muito legal fazer o filme com vocês, vocês enriqueceram muito aquela nossa ideia inicial meio maluca — disse o diretor, referindo-se ao elenco.

A obra levou ao tapete vermelho estrelas como Maitê Proença, Tainá Muller e Suzana Mulholland.

— Essa atmosfera é um negócio que acontece dentro do set, é uma característica do sul. No eixo Rio-São Paulo há uma tensão, aqui e especificamente nos sets do Gerbase tem um afeto que permeia tudo — elogiou Maitê.

A noite contou ainda com a apresentação do longa peruano "La Ultima Tarde", e dos curtas "O Violeiro Fantasma" e "Mãe dos Monstros".

A sexta será marcada pela chegada da estrela Dirá Paes, que recebera o troféu Oscarito por sua contribuição intensa à filmografia brasileira. Além da homenagem, a noite também terá as últimas exibições das mostras competitivas (longas Pinamar e Vergel; e curtas Tailor e Objeto/Sujeito), que antecedem a premiação marcada para o sábado.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros