Festival de Gramado se mobiliza contra veto à prorrogação da Lei do Audiovisual - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Cinema25/08/2017 | 17h58Atualizada em 25/08/2017 | 18h00

Festival de Gramado se mobiliza contra veto à prorrogação da Lei do Audiovisual

Comunidade cinematográfica redigiu um manifesto na tarde desta sexta

Festival de Gramado se mobiliza contra veto à prorrogação da Lei do Audiovisual Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

A comunidade cinematográfica reunida no 45º Festival de Cinema de Gramado reagiu ao veto do presidente Michel Temer à renovação da Lei do Audiovisual, vigente no Brasil desde 1993. Um manifesto foi redigido a muitas mãos na tarde desta sexta-feira. Diversos cineastas e produtores reunidos no hotel Serra Azul participaram da confecção do documento, que enfatiza o bom momento que o cinema nacional está vivendo e a importância do mantimento da lei para que o setor continue produzindo.

Veterano do setor que, inclusive, participou da criação da Lei do Audiovisual, o cineasta Luiz Carlos Barreto foi um dos que se envolveu no manifesto. 

— A gente vive de ciclos virtuosos e de ciclos perversos. Então, para que a gente não entre num ciclo perverso nós resolvemos imediatamente tomar uma posição.(...) Estamos enfatizando (no  documento) o fato de que a única atividade econômica brasileira neste momento que está funcionando a pleno emprego é o nosso setor, não há nenhuma recessão no nosso setor, devido a legislação vigente. (...) A Lei do Audiovisual tirou da cova o cinema brasileiro que havia sido enterrado no governo Collor, resgatou a produção brasileira, ela ainda não chegou a surtir is efeitos que a gente necessita para se tornar uma atividade auto-sustentável, autônoma e independente — enfatizou Barreto.

Confira na íntegra o conteúdo da carta:

"Neste exato momento, o cinema e o audiovisual brasileiro se mantêm como a única atividade econômica funcionando em regime de pleno emprego e alta produtividade, com mais de 150 longas metragens em 2016 e em previsão de ultrapassar esta marca em 2017. Também o setor encontra-se em franco crescimento na produção de conteúdo independente para televisão.

Estamos no ápice histórico da nossa atividade e cada um real investido alcança retorno cinco vezes maior. Totalizamos 250 mil empregos diretos e indiretos e representamos meio por cento do PIB anual brasileiro, maior do que indústrias como a têxtil, a farmacêutica, a de papel e celulose.

Diante disso, enfatizamos a necessidade de aprovação da prorrogação da Lei do Audiovisual e do RECINE, através de uma nova Medida Provisória do Poder Executivo, atendendo às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal.

A comunidade audiovisual e cinematográfica — realizadores e realizadoras, produtores e produtoras, atores e atrizes, e demais integrantes da cadeia produtiva — estará mobilizada e acompanhando com atenção o desdobramento deste processo. Acreditamos que o encaminhamento será em prol da continuidade, contando com a sensibilidade do Poder Executivo e Legislativo.

Viva o Cinema Brasileiro!"

Leia também
Pitanga do Brasil: Na Serra, o ator recebeu o Troféu Cidade de Gramado pela enorme contribuição ao cinema e à identidade brasileira
Soledad Villamil recebeu kikito de cristal
Aplaudido de pé, Antonio Pitanga recebe Troféu Cidade de Gramado


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros