3por4: Paulo Vilhena fala sobre sua infância no 45º Festival de Gramado - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Festival de Cinema24/08/2017 | 11h10Atualizada em 24/08/2017 | 11h10

3por4: Paulo Vilhena fala sobre sua infância no 45º Festival de Gramado

O ator faz parte do elenco de Como Nossos Pais, filme de Laís Bodanzky que desponta entre os favoritos desta edição 

3por4: Paulo Vilhena fala sobre sua infância no 45º Festival de Gramado Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Do elenco de Como Nossos Pais, filme de Laís Bodanzky que desponta entre os favoritos desta edição do Festival de Cinema de Gramado, Paulo Vilhena lembra com nostalgia da época em que era guri em Santos, interior de São Paulo, e usava de artimanhas para ir ao cinema:

— Tinha um cinema que se chamava Cine Roxy, e a gente não tinha dinheiro para pagar entrada e conseguia meio que entrar pela sala de projeção. Era muito louco porque tu ficava ali dentro do sonho. A gente passava pela máquina de projeção e via que tudo saía dali. Não entendia muito bem. E ficávamos assistindo meio que escondidos.

Leia Mais:
O homem da projeção: José Luis de Almeida cuida do telão no Palácio dos Festivais desde 1980
3por4: Marco Ricca fala sobre sua atuação em "Os Dias Eram Assim"
Agenda: Cardo Peixoto lança álbum "Menino Brasileiro" nesta quinta, em Caxias

Naquela época, ele ainda não pensava em ser ator, mas já ficava fascinado com o que via na tela grande. Uma produção ficou marcada na memória afetiva do galã:

— Os Goonies (1985) era um filme que eu via direto. Tinha a coisa do lúdico, eles entravam naquele universo, falava de amizade, tinha todas aquelas traquitanas que eles criavam. É um filme pelo qual tenho muito carinho. Eu tinha vontade de ser amigo dos moleques (os personagens do filme), participar das aventuras deles.

Mais:

Atores que admira
Michael Keaton
Robert Downey Jr
Ícaro Silva
Caio Blat sou muito fã e tenho a honra de ser amigo

Diretores
Afonso Poyart, de
Laís Bondazky, de Como Nossos Pais (2017), As Melhores Coisas do Mundo(2010), Chega de Saudade (2008) e Bicho de Sete Cabeças (2001)

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros