Nivaldo Pereira: Encantos da Lua - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião07/07/2017 | 16h00Atualizada em 07/07/2017 | 16h33

Nivaldo Pereira: Encantos da Lua

Equilibrar os signos solar e lunar é tarefa de uma vida saudável, física e psicologicamente

Nivaldo Pereira: Encantos da Lua Charles Segat/Ilustração
Foto: Charles Segat / Ilustração
Nivaldo Pereira
Nivaldo Pereira

nivaldope@uol.com.br

Desde sempre, não há astro mais fascinante aos olhos humanos do que a Lua. Como ficar indiferente à enigmática condição mutante de nosso satélite em suas contínuas fases pelo céu? Quem nunca exclamou "oh!" ao perceber uma enorme Lua cheia despontando no horizonte? Nenhum outro astro inspirou tanta mitologia e tanta prática nas culturas. Até nosso calendário, de semanas e meses, tem relação com a duração de suas quatro fases e do seu ciclo completo.

Pelas conexões simbólicas, se a Lua afeta o movimento das águas com as marés, também deve desenhar o ritmo de nossas águas internas: nossos humores e emoções, nossas respostas ao ambiente. Mais que uma base emocional, a Lua é nosso centro nutridor, nosso porto seguro interior. Por isso é regente do signo de Câncer. E a gente precisa ver o luar, como já cantou o canceriano Gilberto Gil.

Enquanto o masculino Sol é o rei do dia, ativando a nossa expressão mais consciente, a feminina Lua preside a noite, quando nos recolhemos ao descanso e nos entregamos aos mistérios da condição instintiva. Todos conhecem o seu signo astrológico, ou signo solar, aquele onde transitava o Sol no dia de nosso nascimento. Mas o signo lunar, tão importante quanto o solar, só é conhecido quando se calcula o mapa astrológico, com a hora e o local do nascimento.

A posição da Lua no mapa vai indicar o que precisamos para trilhar a jornada sugerida pelo signo do Sol. Ou seja, a Lua é como um corpo, físico e emocional, por onde o espírito solar se manifesta. Se o corpo, com suas necessidades, não estiver saciado, a missão solar fraqueja.

A Lua nos conecta ao já vivido, a comportamentos automáticos. É a eterna criança dentro da gente, cheia de vontades e carências. Ficar preso à Lua é regredir, infantilizar. Mas negar a Lua em nós é desconectar-se da base. Assim, equilibrar os signos solar e lunar é tarefa de uma vida saudável, física e psicologicamente. (Dica: em sites como "personare" e "astro.com" pode-se calcular gratuitamente o mapa astrológico e ver o signo da Lua).


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros