Pedro Guerra: não tenha sucesso - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Opinião12/05/2017 | 15h30Atualizada em 12/05/2017 | 15h41

Pedro Guerra: não tenha sucesso

Se você chegar onde tanto deseja, vão dizer que o que você teve foi sorte

Se você tem filhos, provavelmente já ouviu falar na tal da Kéfera. Já você, senhor ou senhora que não faz ideia do que eu estou falando, saiba que a Kéfera é uma youtuber muito bem sucedida. You-o-quê? A atriz curitibana de apenas 24 anos tem mais de 10 milhões de seguidores, 2 livros publicados que ultrapassam meio milhão de exemplares vendidos e 3 filmes que agitaram o cinema. Entre todos estes números expressivos, Kéfera acumula um único problema: ela faz sucesso.

Lá em 2010, quando começou a postar vídeos em seu canal do YouTube, a atriz nunca pensou que um dia isso poderia virar profissão e que os seus desabafos teriam quase um bilhão de visualizações. De lá para cá, Kéfera traçou um estilo próprio que, recentemente, foi derrubado. Por quem? Por ela mesma. Motivada por assuntos pessoais, a youtuber desapareceu por um tempo e os únicos vídeos postados eram inserções de patrocinadores. O público, em sua maioria adolescentes, encontrou o gancho ideal para dar início a uma discussão: "onde foi parar a Kéfera? Essa não é a mesma Kéfera de antes! Nossa, a Kéfera mudou muito!".

Leia mais
Primeira edição do "Buona Forchetta" prestigia pequenos produtores
Nivaldo Pereira: mitologia taurina
Mães majestosas: conheça as vencedoras do concurso "Dia de Rainha"
"Vozes do tempo" resgata a memória de Flores da Cunha

Ao ler tantos comentários negativos, automaticamente lembrei de quem eu era há sete anos atrás. Em 2010 eu tinha uns 10 quilos a menos, usava roupas bem mais coloridas, o meu cabelo era uma coisa terrível e minhas ideias tinham pouco sustento. Neste sentido, tanto eu quanto a Kéfera (e aqui acredito que eu possa acrescentar você que me lê), mudamos muito. Nós somos diferentes a cada instante, e está tudo bem em querer mudar.

A Kéfera quis se dedicar ao cinema e deixou claro que o YouTube sempre foi uma plataforma para tentar a carreira de atriz. Ter dado um tempo (porque todos nós precisamos, vez que outra) foi encarado como suicídio social, e quando ela publicou um vídeo que narrava uma poesia que ela mesma havia escrito (muito bonita, por sinal), o caos tomou conta da internet. Onde já se viu uma youtuber escrever um poema? Que tipo de poder paranormal é este?

O sucesso incomoda, crucifica e exige respostas. O que vão dizer de mim se eu ganhar uma promoção no trabalho? Provavelmente vão dizer que estou de rolo com o chefe. E se eu ganhar um aumento em tempos de crise? E se eu me tornar referência em um assunto que poucos dominam? A minha dica é: por favor, tome cuidado! Se lá na frente você chegar onde tanto deseja, vão dizer que o que você teve foi sorte.

Imagina então se um dia eu for lido por tantos adolescentes quanto a Kéfera, aparecer no Faustão e ver minhas histórias ganhando a tela do cinema?! Deus me livre.

Foto: Antonio Giacomin / Especial


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comAlimentos vivos, os probióticos, são capazes de auxiliar os microrganismos a manter a saúde do corpo https://t.co/Ls9sujzJnY #pioneirohá 43 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comA liberdade de ler e contar https://t.co/i3Q2k2N9Ax #pioneirohá 1 horaRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros