Caxienses do Yangos abrem programação do festival El Mapa de Todos, nesta terça, em Porto Alegre - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Música02/05/2017 | 13h06Atualizada em 02/05/2017 | 13h06

Caxienses do Yangos abrem programação do festival El Mapa de Todos, nesta terça, em Porto Alegre

Evento reúne performances com sonoridades latino-americanas

Caxienses do Yangos abrem programação do festival El Mapa de Todos, nesta terça, em Porto Alegre Divulgação/Divulgação
Cristiano Neto Klein, Tomás Savaris, Rafael Scopel e César Casara preparam novo álbum, "Chamamé" Foto: Divulgação / Divulgação

O grupo caxiense Yangos abre nesta terça-feira, no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, a programação do El Mapa de Todos, festival musical que chega à sétima edição sob o signo da diversidade. Até quinta-feira, o local se transformará em uma espécie de consulado extraoficial da América Latina, em cujo palco deverão passar, ainda, nomes como Daniel Drexler, Boogarins, Romperayo, Carmen Correa, Zudizilla e Franciso, El Hombre, estabelecendo a edição de 2017 como uma das mais abrangentes.

– Estamos muito felizes em participar deste festival e ainda mais por ser a primeira vez em que nos apresentamos no Theatro São Pedro, que é a catedral da cultura no Rio Grande do Sul – comemora César Casara, pianista da Yangos.

No show desta noite, o quarteto de Caxias do Sul, do qual também fazem parte Cristiano Neto Klein (percussão), Tomás Savaris (violão) e Rafael Scopel (acordeom), irá interpretar um apanhado dos três discos já lançados e do quarto álbum, Chamamé, que será apresentado ao público no dia 19 de maio com um show em uma casa de jazz em São Paulo. 

Com 11 faixas, sendo 10 inéditas e uma regravação do cantor argentino Jorge Suligoy, o disco estará disponível em versão física e também em streaming, em plataformas como o Spotify. O argentino radicado em Caxias Lúcio Yanel é outro que também participa do novo trabalho.O repertório de hoje no São Pedro abre com uma homenagem à chilena Violeta Parra (1917-1967), compositora, artista e uma das mais importantes folcloristas latino-americanas.

O futuro do El Mapa de Todos
Conforme o criador e diretor do festival, Fernando Rosa, esta edição é meio balizadora do que se pretende daqui por diante. Se quando o El Mapa começou era preciso cavoucar fundo para encontrar algo além do consolidado rock argentino e uruguaio, hoje há uma profusão de ritmos e gêneros provenientes dos quatro cantos do continente. 

O El Mapa foi responsável, ao longo dos anos, por jogar luz em atrações que, depois dele, cresceram para outros públicos – caso do Bomba Estéreo, que tocou na edição de 2014 e este ano virou atração do Lollapalooza no Chile. Uma porta que acaba abrindo para os dois lados: segundo Fernando, artistas independentes como Apanhador Só e Ian Ramil passaram a circular pela América Latina muito por causa de suas participações no festival.

A grande mudança para esta edição, segundo Fernando, é divisão dos artistas. Para evitar a dispersão de público, o El Mapa tentou juntar atrações que podem agradar a um mesmo tipo de paladar musical. 

– Não é uma segmentação, mas uma separação por perfil – garante Fernando. – O público do Franciso, El Hombre é um, o Drexler é outro. Então, para não estressar nenhum e nem outro, cuidamos na hora de montar a programação dos dias.

Programe-se
:: De terça à quinta-feira
, a partir das 20h30min. Classificação: 14 anos.
:: Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/n). Fone: (51) 3227.5300
:: Ingressos: R$ 60 (plateia), R$ 40 (camarotes) e R$ 20 (galerias). Desconto de 50% para estudantes, idosos e público em geral mediante a doação de 1kg de alimento não perecível, livro ou brinquedo (as doações devem ser entregues na bilheteria do Theatro São Pedro, no momento da compra do ingresso. Pela Internet, é preciso levar no dia do show). Pontos de venda: na bilheteria no Theatro São Pedro e pelo site maisshows.com

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros