Quinta Sinfônica presta homenagem ao meio século da UCS, em Caxias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Música clássica06/04/2017 | 07h35Atualizada em 06/04/2017 | 07h42

Quinta Sinfônica presta homenagem ao meio século da UCS, em Caxias

Além de composição especial, concerto terá participação da consagrada pianista Olinda Allessandrini

Quinta Sinfônica presta homenagem ao meio século da UCS, em Caxias Felipe Nyland/Agencia RBS
Sob a regência de Manfredo Schmiedt, músicos se apresentarão na noite desta quinta-feira no UCS Teatro Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Maristela Scheuer Deves
Maristela Scheuer Deves

maristela.deves@pioneiro.com

As comemorações do meio século da Universidade de Caxias do Sul (UCS) ganham nesta quinta-feira um capítulo especial: no palco do UCS Teatro, os músicos da Orquestra Sinfônica da UCS (Osucs) executarão pela primeira vez uma abertura festiva especialmente encomendada ao compositor alemão Christoph Küstner para homenagear essa trajetória. A apresentação, que integra o projeto Quinta Sinfônica, será a primeira de uma série de concertos comemorativos.

— Vamos levar essa peça para os diversos núcleos e campi da UCS ao longo do ano — revela o maestro Manfredo Schmiedt.

Leia também:
Feira do Livro de Caxias volta para a Praça Dante Alighieri em 2017
Viviane Luchese autografa sexta "Versos Inominados", em Caxias
Dormir bem: essencial
Caxiense que já experimentou 999 cervejas fabrica a milésima para brindar com os parceiros de copo 


A abertura tem cerca de cinco minutos e, segundo Küstner — que também é organista e já tocou algumas vezes com a Osucs, incluindo um concerto natalino na Catedral, em 2015 —, apresenta características bem festivas, com alguma influência de trilhas sonoras. 

— Envolve percussão, piano e quase todos os instrumentos — adianta o compositor, que vê na música sinfônica brasileira uma forte influência europeia, a partir da qual se construiu uma linguagem própria e de grande qualidade rítmica.

Outro destaque da noite será a participação como convidada da consagrada pianista Olinda Allessandrini, caxiense formada na antiga Escola de Belas-Artes, uma das que deram origem à UCS. Ela será a solista na Rapsódia Nazaretheana, de Alfred Hülsberg — compositor alemão já falecido e que, como Küstner, adotou o Brasil como sua pátria.

Olinda explica que a peça é, como todas as rapsódias, uma espécie de "colcha de retalhos" de músicas originalmente escritas para piano por Ernesto Nazareth, compositor que Villa-Lobos declarou ser "a alma musical brasileira". A pianista se diz emocionada em participar do concerto na instituição na qual também lecionou:

— Para mim é uma grande honra e uma grande alegria. Admiro muito a UCS, inclusive por manter essa orquestra excelente, uma mostra de que a instituição preza o lado cultural e a integração com a comunidade.

O Quinta Sinfônica se encerrará com uma obra considerada icônica e precursora do nacionalismo musical brasileiro: Série Brasileira, de Alberto Nepomuceno.

— Nepomuceno procurou aproveitar os ritmos populares brasileiros, mesclados com uma sonoridade europeia — descreve o maestro Manfredo.

Agende-se
O que:
Quinta Sinfônica, com a Osucs e a pianista Olinda Alessandrini
Quando: nesta quinta-feira, às 20h30min
Onde: UCS Teatro, em Caxias do Sul
Quanto: R$ 10 e R$ 5 (estudantes e idosos), à venda na loja Spaço Omini (Galeria Universitária) e na Livraria do Maneco (Rua Mal. Floriano, 879, Centro)

Repertório

* Abertura Festiva, de Christoph Küstner (alusiva aos 50 anos da UCS)
* Rapsódia Nazaretheana, de Alfred Hülsberg (com Olinda Allessandrini, piano) - Odeon, Apanhei-te Cavaquinho, Turbilhão de Beijos e Batuque
* Série Brasileira, de Alberto Nepomuceno - Alvorada na Serra, Intermédio, A Sesta na Rede e Batuque

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros