João Côrtes, que ficou famoso como o ruivo de um comercial, está louco pra conhecer o Rio Grande do Sul - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 Aqui Entre Nós01/04/2017 | 12h01Atualizada em 03/04/2017 | 10h34

João Côrtes, que ficou famoso como o ruivo de um comercial, está louco pra conhecer o Rio Grande do Sul

Em um papo por telefone, o ator, que acabou de fazer" Sol Nascente", conta que tem dois filmes seus para estrear neste semestre e que virá para o Estado com peça

João Côrtes, que ficou famoso como o ruivo de um comercial, está louco pra conhecer o Rio Grande do Sul Faya/Divulgação
Foto: Faya / Divulgação

A inquietação de querer abraçar todas as oportunidades, somada à leveza dos 21 anos, tem colocado João Côrtes na cara do gol no que quer que faça.

Mal saiu do ar como o Peppino de Sol Nascente, ele toma fôlego para encarar a maratona de projetos que traçou para 2017. O ator ganhou a simpatia do Brasil como o ruivo da Vivo ao lado de Rubinho Barrichello, Grazi Massafera, Thaila Ayala e Sheron Menezzes, entre tantas personalidades com quem divertiu o público. 

Basta assistir no YouTube a alguns dos 40 comerciais que o alçaram à fama para logo entender por que João tem estrela. 

Aqui Entre Nós — Como está a vida depois de Sol Nascente?
João Côrtes —
Tô terminando de gravar a quarta temporada de O Negócio, série da HBO. Fiz a terceira também. E tô com dois filmes: Ninguém Entra, Ninguém Sai, com a Danielle Winits, que deve estrear no dia 4 de maio, e Amor.Com, com Isis Valverde (1º de junho nos cinemas). Ambos têm uma pegada cômica. E ainda tem as peças Vincent River, mais pro segundo semestre, e Querida Quitinete, com a qual vamos viajar pelo país.

Aqui — Pro Rio Grande do Sul também?
João — Com certeza! Quero muito ir. Só fui a Florianópolis e Chapecó, em Santa Catarina. Acredita que ainda não fui pra aí? Tô doido pra conhecer o Rio Grande do Sul, adoro esse friozinho, o clima vinho e lareira.

Aqui — E que tal foi fazer a tua primeira novela?
João —
Muito legal, recebi vários elogios, fiquei feliz. O elenco foi generoso. É um universo no qual eu nunca tinha entrado: tem a correria, é um ano em que você se dedica praticamente só a isto, mas acaba sendo muito gostoso. 

Essa gente linda e graciosa. ¿¿ #SolNascente ¿

Uma publicação compartilhada por João Côrtes (@joao_cortes) em

Aqui — Não ficas receoso de atuar só no humor?
João —
O Peppino tinha uma história leve. Agora, vou buscar personagens que me desafiem, mas não necessariamente fora do humor. A comédia é muito difícil. É sempre mais difícil fazer rir do que fazer chorar, porque o engraçado acaba sendo subjetivo. O que me faz rir pode não ser o mesmo que faz você dar risada.

Aqui — A experiência como o ruivo da Vivo não foi a tua estreia nos comerciais?João — Não. Eu já tinha feito alguns e montagens de teatro. Mas o da Vivo me deu esta projeção. Era um projeto despretensioso, de um filme só. Mas a galera foi dando crédito pro ruivo (risos), e foram três anos de campanha até 2015.

Aqui — É muito tempo fazendo uma série de comerciais.
João —
Sim, foram 40 versões diferentes com a Marina Ruy Barbosa, Felipão, Grazi Massafera, Sabrina Sato, o Fábio Jr., que eu sacaneei...

Aqui — As pessoas ainda te reconhecem como o ruivo da propaganda?
João —
Percebo uma transição sutil, faz um ano já que se encerrou o ciclo, mas ainda tá meio fresco na cabeça das pessoas. Nas ruas, é bem dividido: alguns me chamam de Peppino, outros lembram do comercial.

Aqui — Melhor fazer propaganda ou novela?
João —
O comercial é bem rentável e bacana porque tem essa repercussão, mas sempre prefiro a dramaturgia. Por isso, escolhi sair da campanha.

Com Sheron, Thaila e Grazi: que dureza! Foto: VIVO,DIVULGAÇÃO / VIVO,DIVULGAÇÃO

Aqui — Tu quem decidiu sair?
João —
Foi uma decisão mútua, mas partiu de mim. Quero ser desafiado.

Aqui — E ainda achas tempo para cantar?
João —
(risos) A família do meu pai (Ed Côrtes) é de músico. Meu avô é compositor, minha avó, cantora lírica. Eu cresci com essas referências. Em 2015, eu entrei como cantor da banda de jazz do meu pai, a Oito do Bem. Agora, trabalho no meu CD solo de jazz com o meu pai, que está fazendo arranjos diferentes e vai orquestrar as músicas. O nome provisório do disco, que deve sair no segundo semestre, é Elevador Gourmet

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPrefeitura de Caxias confirma parceria para retomar atendimentos de fisioterapia para Apae https://t.co/MJOm89Wnd5 #pioneirohá 3 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comAgenda: Alegre Correa é o convidado do projeto Tum Tum Oficinas de agosto, em Caxias https://t.co/Ar3bGMYALs #pioneirohá 3 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros