Sala Ulysses Geremia estreia o drama francês "O Vale do Amor" nesta quinta - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Cinema01/12/2016 | 07h03Atualizada em 01/12/2016 | 07h03

Sala Ulysses Geremia estreia o drama francês "O Vale do Amor" nesta quinta

Filme narra reencontro de ex-casal depois da morte do filho

Sala Ulysses Geremia estreia o drama francês "O Vale do Amor" nesta quinta Imovision/Divulgação
Domínio de cena de Gérard Depardieu e Isabelle Huppert é destaque do longa  Foto: Imovision / Divulgação

O ambiente onde se passa a história de O Vale do Amor — drama que estreia nesta quinta na Sala de Cinema Ulysses Geremia — é tão importante quanto os próprios personagens vividos pela impressionante dupla francesa Isabelle Huppert e Gérard Depardieu. Na história, os dois são um ex-casal que se reúne para realizar o último desejo do filho, que se matou seis meses antes. O encontro é no deserto californiano do Vale da Morte, cenário que, além do nome bem adequado à situação, realça toda a angústia e sofrimento emocional dos dois. Seja por meio do calor insuportável ou das paisagens belas, porém, inatingíveis.

Leia mais
Mostra "A cena que não se vê" abre nesta quinta, em Bento Gonçalves
3por4: Adoção de vira-latas é tema do calendário da Soama 2017
Banda Sonic e DJ Jorgeeenho se apresentam nesta sexta, em Caxias 


O francês Guillaume Nicloux (A Religiosa, 2013) dirigiu e roteirizou o longa oferecendo ao espectador uma jornada de dor mas também de esperança e auto compreensão. As motivações para o reencontro dos protagonistas são cartas que o filho deixou para ambos antes de tirar a própria vida. Em meio a palavras emocionadas do rapaz que vivia distante dos pais, surge o pedido para que eles se encontrem naquela data e naquele lugar específicos. As cartas trazem ainda uma promessa impossível do jovem, motivo de discussões entre o cético pai e a esperançosa mãe. O reencontro do ex-casal promove uma série de reflexões sobre o que poderia ter sido feito diferente na relação com o filho, e expõe as fraquezas da família.

A dupla protagonista é dona da narrativa de O Vale do Amor, ou seja, se não houvesse Huppert/Depardieu provavelmente não haveria esse filme. Prova disso é a decisão do diretor em batizar os personagens com os nomes reais (há ainda algumas outras coincidências entre ficção e realidade que vamos manter em segredo aqui). O desempenho dramático dos atores envolve o espectador numa gangorra de sentimentos que passa, inclusive, por momentos de certo suspense. A sensação de vazio e perda compartilhada entre os dois acaba encontrando uma espécie de acalento na presença de um para o outro. São diferentes maneiras de lidar com o luto, mas é a mesma perda.

Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, o longa foi premiado com o César pela direção de fotografia de Christophe Offenstein. De fato, cada quadro na telona parece triplamente grandioso com a composição Huppert+Depardieu+as belas silhuetas do Vale da Morte. A câmera de Nicloux também é certeira ao se transformar numa espécie de presença — talvez a do filho que os pais tanto desejam reencontrar — sempre acompanhando os passos dos protagonistas de perto (seja andando atrás, ao lado ou a frente deles).

O Vale do Amor é ainda cheio de possíveis metáforas, como as feridas que se abrem na pele dos personagens em lugares do corpo que podem lembrar as chagas de Cristo. Se ser mãe/pai é padecer no paraíso, talvez a relação faça sentido, manifestando o poder catártico do amor ainda que por meio do sofrimento.

VEJA O TRAILER


PROGRAME-SE
:: O que: estreia do drama francês O Vale do Amor
:: Quando: estreia nesta quinta e fica em cartaz até 11 de dezembro, com sessões às 19h30min (quinta e sexta) e 20h (sábado e domingo)
:: Onde: Sala de Cinema Ulysses Geremia, no Centro de Cultura Ordovás (Luiz Antunes, 312)
:: Quanto: R$ 10 e R$ 5 (estudantes e idosos)
:: Duração: 91min
:: Classificação: 12 anos

MAIS
:: O Vale do Amor é a terceira parceria de Isabelle Huppert e Gérard Depardieu no cinema. Eles também atuaram juntos em Corações Loucos (1974) e Loulou (1980).

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comReforma acaba com fator previdenciário e fórmula 85/95 https://t.co/qV2NWJo4wJ #pioneirohá 3 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.com"Pago para evitar agressões a meu filho", afirma mãe de detento da penitenciária de Caxias do Sul https://t.co/bNiwpaYlF1 #pioneirohá 32 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros