Cone chinês é alternativa natural para problemas no ouvido e nas vias respiratórias - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Variedades05/11/2016 | 06h31Atualizada em 05/11/2016 | 06h31

Cone chinês é alternativa natural para problemas no ouvido e nas vias respiratórias

Milenar técnica oriental ajuda a eliminar excesso de muco, responsável por diversas doenças

Cone chinês é alternativa natural para problemas no ouvido e nas vias respiratórias Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Na aplicação, coloca-se a parte mais fina do cone na entrada do ouvido e, em seguida, acende-se a outra extremidade Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Práticas da milenar medicina oriental cada vez mais seduzem o Ocidente. Uma delas é o cone hindu _ também chamado de cone chinês _, que busca desobstruir ouvidos, nariz e garganta. Produzidas com diversos materiais, como cera de abelha, algodão ou gase, parafina e própolis, essas estuturas auxiliam em várias frentes.

O calor gerado pelo cone, que queima como uma vela, age como um bactericida para os ouvidos e as vias respiratórias, estimulando a limpeza natural de mucosas em excesso - ou solidificadas na área da face. Assim, ajuda no combate a inflamações e infecções, principalmente em épocas de variações bruscas de temperatura como agora.

A empresária Margarete Rossa, de Caxias do Sul, costuma fazer aplicações em amigos e conhecidos, após aprender a técnica com um teraepeuta sensitivo.

- No início, as pessoas chegam dizendo que estão com um zumbido no ouvido, mas esse problema pode decorrer de vários outros fatores, como a qualidade do ar, as toxinas ou infecções e a própria alimentação. A prática alivia as tensões dos músculos da face, pois os mucos estão alojados em toda a parte do rosto - explica Margarete.

Assim que o fogo consome todo o oxigênio, inicia-se um processo de sucção das impurezas acumuladas na cabeça Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A aplicação

A aplicação é bastante simples, apesar de, à primeira vista, o fogo assustar um pouco os pacientes. Coloca-se a parte mais fina do cone na entrada do ouvido e, em seguida, acende-se a outra extremidade. Assim que o fogo consome todo o oxigênio contido no interior do cone, inicia-se um suave processo de sucção.

Essa aspiração, juntamente com a fumaça e o calor, mobiliza todo muco acumulado nas passagens internas do ouvido, nariz e garganta. Uma aplicação, porém, não faz milagres. Conforme Margarete Rossa, são necessárias, no mínimo, três, para que os resultados comecem a ser percebidos.

- Além de ser desintoxicante, a aplicação também promove o equilíbrio emocional e apura os sentidos - explica Margarete.

Indicações

Dor de ouvido, rinite, sinusite, labirintite, congestão nasal, estados gripais, pigarro, tosse, ressonar (ronco), dor na garganta, asma, pressão nos ouvidos, zumbidos, etc.

* A técnica proporciona alívio das tensões na cabeça (dores de cabeça e enxaquecas), alinha os chakras e reduz a ansiedade o estresse e o nervosismo do dia a dia.

* Os cones podem ser usados por crianças e adultos, sem limite de idade, desde que seja aplicado por um profissional habilitado.

* O cone não deve ser usado em pessoas que passaram por processos cirúrgicos recentes, com perda de audição congênita e tumores no ouvido.

Cera e muco

Ao contrário do que muitos pensam, o cone chinês não é usado para tirar a cera do ouvido, mas para "puxar" o muco excessivo contido em várias áreas da cabeça. Os cones chinese também auxiliam pessoas que estão tentando parar de fumar ou sofrem de bruxismo. O ideal é que eles sejam aplicados com a pessoa deitada, pois o relaxamento pode fazer o paciente dormir.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comInstrumentista e compositor André Viegas irá lançar DVD nesta terça, em Caxias https://t.co/K1cyy8EXnn #pioneirohá 21 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comEntenda os riscos causados pelo consumo de alimentos com excesso de agrotóxicos https://t.co/4vFhL9qvBE #pioneirohá 50 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros