9°MDBF, em Caxias do Sul, vai além das expectativas - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Música27/11/2016 | 18h41Atualizada em 27/11/2016 | 19h20

9°MDBF, em Caxias do Sul, vai além das expectativas

Mississippi Delta Blues Festival se encerra com grande público e shows surpreendentes

9°MDBF, em Caxias do Sul, vai além das expectativas Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Annika Chambers cantou e encantou o público no Magnolia Stage no sábado, último dia do MDBF de 2016 Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Diferentemente dos últimos anos, o burburinho em torno do Mississippi Delta Blues Festival de 2016 começou tímido. Quando as atrações começaram a ser divulgadas, há meses, somente aqueles que curtem o estilo eram vistos especulando quais seriam os shows imperdíveis. A crise econômica pareceu ter deixado o público e a produção incertos sobre o sucesso da 9ª edição. Mas se essa dúvida pairou mesmo por aí, ela deixou de existir ainda na quinta, primeiro dia de apresentações. Durante os três dias, o MDBF transformou a Estação Férrea em uma celebração musical, reunindo grande público e sendo palco de shows memoráveis. As novidades estruturais – incluindo trocas de lugares de palcos – e as atrações inéditas, gringas e brazucas, também mostraram que reinvenção foi palavra de ordem.

Leia mais
3por4: o figurino do anfitrião do Mississippi Delta Blues Festival
Conheça alguns tradicionais anfitriões do Mississippi Delta Blues Festival 2016

Quinta, sexta e sábado, o público conferiu mais de 80 apresentações e pode conhecer e se empolgar com shows cheios de performances e suingue. Quem ainda não tinha pisado nos palcos do MDBF, como o americano James "Boogaloo" Bolden, fez bonito, e quem já virou queridinho dos frequentadores, como o onipresente septuagenário Bob Stroger, não decepcionou. Para aqueles que foram para a Estação Férrea para não ficar de fora da festa, mesmo não entendendo nada dos solos de 12 compassos, característica principal da estrutura musical do blues, o MDBF também foi um baita programa. Enquanto os shows rolavam nos sete palcos, os mais ousados puderam fazer tatuagens, comprar artigos de decoração e ainda dar um trato no visual cortando barba, cabelo e bigode na hora.

Chamado de palco principal, o Bottle Tree Stage foi o mais movimentado nos três dias. Foi o espaço de estreia dos principais nomes internacionais do line up e o lugar para conferir apresentações pra lá de empolgantes, como a da banda Baia Toca Raul, na quinta, que interpretou clássicos do maior roqueiro brasileiro. Mas o destaque desta edição foi mesmo o Magnolia Stage, o das vozes femininas. No primeiro dia, a carioca Luiza Casé encantou o público cantando Amy Winehouse. Mais tarde, a britânica Bex Marshall, que já havia tocado na edição de 2014, mostrou por que foi escolhida para voltar: a estilosa guitarrista, cantora e compositora não deixou ninguém parado. Os outros dois dias ainda trouxeram os irretocáveis shows de Orianna Anderson (o que foi aquela participação da harmonicista Xime Monzon?) e do trio Indiana Nomma, Barbara Mendes e Alma Thomas, que emocionaram do início ao fim. Para ouvir essas três vozes, cada uma no seu estilo, uma hora foi pouco. E o Magnolia ainda reservou uma boa surpresa para o final, sábado, com a estreante Annika Chambers. A texana de vozeirão contagiante, acompanhada do inconfundível guitarrista Igor Prado, prendeu a atenção de um grande público até mesmo com suas canções autorais.

Conheça Etiene Nadine, uma das novidades do Festival deste ano
Veja como foram os primeiros dias do MDBF, em Caxias

Foram três dias de muita música, de surpresas e de aplausos para um evento que se consagrou em Caxias e que faz jus à alcunha de maior festival de blues da América Latina. Nesta edição, os elogios ouvidos são reflexo do esforço da produção em inovar e do público em não deixar de prestigiar. Em 2016, até São Pedro pareceu ter participado da festa, já que poupou o público da já tradicional chuva. Para 2017, ano emblemático e que fecha o ciclo de uma década de MDBF, os participantes já criam expectativas. 

Na madrugada de domingo, cansado e feliz, o idealizador do evento, Toyo Bagoso, sorriu e falou ao ser questionado sobre o próximo festival:

— Eu quero a 10ª edição.

Nós também, Toyo.

Para já colocar na agenda: a edição de 2017 vai ocorrer nos dias 23, 24 e 25 de novembro.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comVice eleito de Caxias já fala em demitir secretários, se assumir prefeitura interinamente https://t.co/fEJgaobqTW #pioneirohá 4 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comIndústria de Caxias deve ter o pior faturamento da história recente em 2016 https://t.co/zyuvhAKPo2 #pioneirohá 24 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros