32ª Feira do Livro de Caxias começa nesta sexta na Praça das Feiras - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Literatura30/09/2016 | 08h25Atualizada em 30/09/2016 | 08h25

32ª Feira do Livro de Caxias começa nesta sexta na Praça das Feiras

As 30 bancas, com descontos de até 20%, abrem ao meio-dia

32ª Feira do Livro de Caxias começa nesta sexta na Praça das Feiras Porthus Junior/Agencia RBS
Na quinta-feira, livreiros participantes organizavam obras no novo espaço, que sedia a programação pela primeira vez Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Maristela Scheuer Deves
Maristela Scheuer Deves

maristela.deves@pioneiro.com

Depois de três décadas ocupando anualmente o centro de Caxias do Sul, a Feira do Livro estreia nesta sexta-feira em um novo cenário: a Praça das Feiras, próximo à antiga Estação Férrea. Sob o tema Ler ou Reler, eis a Paixão, esta 32ª edição da festa literária terá 17 dias de programação, mais de 300 atividades literárias e artísticas, 55 sessões de autógrafos e até 20% de desconto nos livros comercializados nas 30 bancas de livrarias e editoras.

— A partir do tema, baseado em Shakespeare, teremos muita emoção e muitas atividades de dança, música e teatro, sempre interagindo com os livros, que são o grande protagonista — diz a coordenadora da Feira, Daniela Tomazzoni Ribeiro.

Embora a abertura oficial só ocorra neste sábado, às 11h, as bancas — oito infantis e 22 gerais — abrem ao meio-dia desta sexta. Para este primeiro dia, não estão programadas sessões de autógrafos, mas o público poderá participar do primeiro bate-papo. Será às 19h, com a escritora e educadora colombiana Yolanda Reyes, que abordará a leitura para bebês. O encontro ocorre no auditório montado na Biblioteca Parque Largo da Estação, que se integra à Feira para receber as atividades de maior público, como as conversas com escritores convidados.

Leia também:
Distribuição de livros movimenta a Praça Dante Alighieri, em Caxias
3por4: Livro 'Lova' de Gio e Doug será lançado na próxima  quarta

Esse, aliás, vem sendo considerado um dos principais trunfos da nova localização da Feira. Enquanto no auditório que era montado na Praça Dante Alighieri havia lugar para cerca de 100 pessoas, agora 400 poderão participar de cada encontro.

— Ano passado, muita gente não conseguiu entrar para a conversa com o Luis Fernando Verissimo — exemplifica Daniela.

A Biblioteca Parque receberá ainda as atividades do Passaporte da Leitura, em que alunos de escolas da cidade encontram escritores, durante o período da Feira, como culminância de um trabalho desenvolvido nos últimos meses a partir das obras desses autores. Também aí foi possível multiplicar o público atendido.

Mas nem só de escritores convidados vive a Feira do Livro. Diversos nomes locais participarão de atividades, que incluirão ainda oficinas de leitura e escrita. E William Shakespeare, autor lembrado no slogan da Feira, será tema de várias ações, como esquetes itinerantes com o grupo Quiquiprocó, um chá literário com estudantes da Escola Municipal Marianinha de Queiróz, no dia 14, e uma mesa O Rei, o Sonho e a Tempestade, dia 15, com o Grupo de Leitura Quindim e convidados.

Uma feira, múltiplos espaços

As 30 bancas de livreiros e editores estão instaladas, lado a lado, na Praça das Feiras, situada entre a Rua Feijó Júnior e a Avenida Rio Branco. Na parte central da praça fica o Café Literário, com uma área fechada e outra aberta; de um e de outro lado do café estão dois decks para autógrafos, o Espaço Verde e o Espaço Amarelo.

O palco de 10x12 metros, que sediará as apresentações artísticas e alguns dos encontros com escritores, fica na extremidade mais próxima à Rio Branco. Em frente a ele, há cadeiras para 400 pessoas. Na outra extremidade, mais próxima à Feijó, está o Bebelê, uma biblioteca voltada aos bebês. Ao lado deste, um espaço que reúne desde fraldário até leitura para crianças, além de uma brinquedoteca. As oito bancas infantis são as que ficam mais perto dessa área. 

O público que for conferir a feira contará ainda com food trucks e com o pet-stop — neste, em parceria com a Faculdade Murialdo, serão oferecidas orientações veterinárias e sobre agroindústrias.

A programação, entretanto, estende-se para fora dos limites da Praça das Feiras. A Biblioteca Parque Largo da Estação, citado acima, receberá as conversas com convidados e o Passaporte da Leitura. Um outro espaço, o Auditório Shakespeare, foi instalado no Shopping San Pelegrino, e lá devem ocorrer bate-papos com escritores locais e oficinas de leitura e escrita.

Junto à Biblioteca Parque ficará estacionada e carreta do Sesi. Ali ao lado, também na área da antiga estação férrea, ocorrerá uma mostra de cinema promovida pela Unidade de Cinema e Vídeo, em parceria com o Sesc, que a partir de segunda-feira exibirá gratuitamente 20 filmes, entre adultos e infantis — todos adaptações de livros, de clássicos da literatura a bestsellers contemporâneos.

Travessia da Feijó

A coordenadora da Feira, Daniela Ribeiro, destaca que o fato de ser necessário atravessar a Rua Feijó Júnior para ir do auditório até as bancas situadas na Praça das Feiras não deverá constituir problema, pois além de a rua contar com faixa de segurança e botoeira para pedestres (basta acionar o botão e o sinal fecha para carros), ainda haverá acompanhamento de equipes da Escola de Trânsito e da fiscalização.

O público contará ainda com estacionamento, com acesso junto à antiga estação férrea. 

Segundo Daniela, o investimento na Feira neste ano foi de aproximadamente R$ 339,4 mil (R$ 166,7 mil em estrutura, sonorização, material gráfico e transporte de estudantes para a Feira e R$ 172,7 mil com escritores convidados, via LIC), ante R$ 474,5 mil em 2015, numa economia de cerca de R$ 135,1 mil.


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros