Sociedade por João Pulita - Colunas do João Pulita - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

SOCIAL23/09/2020 | 06h10Atualizada em 23/09/2020 | 06h10

Sociedade por João Pulita

Veja a coluna social desta quarta-feira!

Sociedade por João Pulita Fabiano Knopp / Divulgação/Divulgação
Juliana Knopp, Alexandre Barreiro Santos e Antonella Knopp Barreiro, no último dia 13, quando celebravam o primeiro aninho de Antonella Foto: Fabiano Knopp / Divulgação / Divulgação

Empatia

Com a pandemia, a Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Visuais, perdeu 40% de seus apoiadores. Por conta disso, o presidente da instituição, Marcus D’Arrigo, sinalizou uma parceria com o Galeto Di Paolo – Unidade Lourdes, e juntos realizam um almoço beneficente no formato Drive Thru. A ação intitulada Uma Refeição Solidária ocorrerá neste sábado, dia 26, entre 11h30min e 13h, no estacionamento do restaurante. O valor é de R$60,00 e serve duas pessoas.

Clique e confira outras edições da coluna social de João Pulita

A gestora empresarial Marcia Ribeiro Jordão comemora o sucesso de seu empreendimento e protagoniza live, hoje, com a consultora de imagem e estilo, Chai Luz Foto: Manoel Vargas Neto / Divulgação

Olho Mágico

Atenta ao crescimento de microempreendedores na área da beleza e bem-estar, a gestora empresarial Marcia Ribeiro Jordão decidiu transformar a experiência adquirida ao longo da carreira em um negócio próprio, tanto é que a empresária estreou, em março deste ano, o escritório homônimo Marcia Jordão Consultoria Executiva. A ideia dela é auxiliar profissionais autônomos e proprietários de micro e pequenas empresas na gestão e organização de seus empreendimentos. Mesmo diante das adversidades em decorrência da pandemia, a profissional viu seu projeto prosperar. Em cinco meses de atuação, ela já soma mais de dez clientes. Hoje às 19h30min, Marcia protagoniza uma live sobre gestão de negócios como convidada da consultora de imagem e estilo Chai Luz.

Gheisy Moretto, Fábio Pazzamiglio e Manuela Moretto Pizzamiglio, juntos, cantaram o parabéns a você, em uníssono, para homenagear os sete anos de Manuela Foto: Fabiana Bertolo / Divulgação

Crachá

O Centro Universitário da Serra Gaúcha realiza até a próxima segunda-feira, a Semana de Responsabilidade Social 2020. A iniciativa contempla alunos da instituição e a comunidade com atividades online voltadas à promoção da saúde, bem estar, serviços de orientação financeira e capacitação profissional. Na programação totalmente gratuita estão atividades que visam o desenvolvimento emocional como oficinas de dança, de pintura e exercícios físicos.

O médico Fernando Vivian foi aplaudir o projeto de fôlego e filantropia do colega dele, Lisandro Pavan Foto: Victoria Ruzzarin / Divulgação
Guilherme Batista Ferreira do time dos atletas que prestigiou a ação de cidadania promovida por Lisandro Pavan, na Academia Base 1Foto: Victoria Ruzzarin / Divulgação

Solidariedade

Em parceria com o G50 do Bem, um grupo de empresários expoentes na comunidade da Serra gaúcha, as chefs de cozinha Marcia Gobatto e Márcia Melo Andrade irão pilotar forno e fogão para a realização da Feijoada Mão Amiga com a colaboração organizacional da advogada Paula Viezzer. O evento será em formato Drive Thru, no dia 18 de outubro, com retirada da gastronomia no estacionamento da Comunidade são Francisco, no Bairro Kayser, das 11h30min às 13h30min.

.

Daniela e a grandeza de ser!

Daniela Sebben KappesFoto: Fernando Dai Prá / Divulgação

A médica caxiense Daniela Sebben Kappes, filha de Jacob Willy Kappes e Vera Teresinha Sebben (in memoriam), com especialização em Oncologia e Nutrologia, esposa de Júlio Randon e mãe de Sofia Kappes Randon, é a convidada do dia para discorrer sobre saúde, ideias e novos tempos. Ela conta entre tantas memórias de seus 20 anos de atuação dedicada à Medicina, que a ciência demonstra cada vez mais que a conexão com o “superior” com o transcendente é essencial para a vida, e de quebra, dá literalmente receitas de convivência saudável em família em tempos de recesso social. Encante-se com o pensamento humano e amoroso de Daniela!

O que é o bom da vida? O melhor de viver é estar a serviço da vida. Saber que só posso ser plena quando contribuo para a plenitude das pessoas com quem convivo e que fazem parte da minha comunidade. O bom da vida é a “vida que há” em tudo o que fazemos e que muitas vezes se expressa de várias maneiras. Uma delas, é a alegria de estar com a minha família, meu porto seguro. 

Que conexão lúdica faz com a sua infância? Tenho recordações ótimas da minha infância, quando se podia brincar na rua até à noite. As brincadeiras soltas e leves com amigos da vizinhança. Essa lembrança me conecta com a missão que desenvolvo hoje na busca pela preservação da saúde, controle do peso que impacta tanto a infância atual e na trilha do melhor estilo de vida possível para quem o deseja.

Qual a passagem mais importante da tua biografia e que título teria se fosse uma obra? Minha vida tem muitos momentos lindos e que enchem meu coração de alegria. Minha caminhada como indivíduo, como profissional e como mulher, mas ao escolher apenas uma única passagem, eu diria que a mais marcante de todas foi o nascimento da Sofia. O título para essa passagem poderia ser: Aprendendo a ser mãe.

Ao lado de quem gostaria de ter sentado na época da escola? Gostaria de ter partilhado os bancos escolares com Ana Lins dos Guimarães Peixoto, a Cora Coralina. Essa doceira simples que estudou somente até a terceira série do curso primário, mostrou que almas grandes chegam longe. Quem não gostaria de ter estado perto de alguém capaz de ver na singeleza da vida, grandes belezas? Acredito que o mundo fica melhor quando aprendemos a descomplicar as coisas, ver com profundidade, ter esperança e confiar na nossa capacidade de reinvenção. Dizia ela, “Recria tua vida, sempre, sempre”.  

Se tivesse vindo ao mundo com uma legenda ou bula, o que conteria nela? A legenda seria: “cuide da saúde. É o bem mais valioso que poderá ter na vida. Sorria sempre que puder, contemple a natureza, ame, movimente-se, coma comida de verdade e tenha amigos”.

O que te inspira? Muitas coisas. Gosto do trabalho que faço porque ele me mantém sempre em movimento. Fico inspirada quando vejo que consegui ajudar pessoas a encontrar o caminho da qualidade de vida e saúde. Com coisas que vão além da minha profissão: a natureza, ver minha filha crescer e se desenvolver e em cada momento romântico com o marido, quando viajo para conhecer lugares, ter novas experiências e descobertas. Com o engajamento da comunidade em benefício do bem coletivo como nesse período de pandemia. Solidariedade, gentileza e bondade me inspiram.

O que fazer para manter o equilíbrio nestes tempos? Primeiro temos que reconhecer que o momento é desafiador mesmo, e talvez um dos maiores impactos sobre a saúde seja aquele provocado no âmbito mental. Os quadros de ansiedade e depressão estão mais frequentes. O adoecimento mental não se dissocia da saúde global, composta pela esfera física, espiritual e social. Assim, para driblar, sugiro adotar uma rotina saudável e produtiva como o primeiro passo para manter a linha de equilíbrio. Segundo, considero importante cultivar a espiritualidade. A ciência demonstra cada vez mais que a conexão com o “superior”, com o transcendente é essencial para a vida. Ao desenvolvê-la, aumentamos a capacidade de vivenciar o amor, a compaixão, o perdão e a gratidão. Esses sentimentos são essenciais neste momento atual. E terceiro, destaco o otimismo: pensar sempre que tudo passa, até a Covid-19 vai passar!

Quando decidiu seguir o caminho da nutrologia? Me formei há mais de 20 anos e optei por me dedicar a oncologia clínica que foi a minha especialidade original. Esse período foi de muito trabalho e amadurecimento. Trabalhei ativamente como oncologista até 2009 e esse foi um período muito lindo na minha vida, que me trouxe a oportunidade de atender um universo de pessoas com sofrimento físico e emocional muito intensos. Por razões da vida, em 2005 fiz uma especialização em Nutrologia na USP em Ribeirão Preto. Naquele momento a intenção de trabalhar na prevenção de doenças e na promoção da saúde das pessoas fez com que direcionasse a maior intensidade do meu trabalho à nutrologia. Em 2016, conheci a medicina integrativa. Esse foi um momento decisivo para a minha carreira e profissão. Percebi que olhar de verdade o todo da pessoa, sem focar só na dor que motivou a me procurar, fez perceber o quanto a medicina evoluiu na tentativa de promover a saúde. Sair da perspectiva de só curar a doença e partir para o modo de conquistar a saúde plena. Sou apaixonada por esse caminho que sigo como médica.

Que dicas pode compartilhar com as famílias que, no período de recesso social, optaram por fazer mais refeições em casa? A primeira é manter esse hábito. Ao cozinhar em casa, a gente resgata uma prática antiga super saudável de tomar para si a responsabilidade de garantir qualidade nutricional. Ali, podemos escolher os alimentos, controlar a adição de sal ou açúcar, verificar a qualidade das gorduras e ter certeza sobre segurança sanitária. Essa tarefa é um ato de amor. Outra dica boa é “desembrulhar menos e descascar mais”: aumentar a ingestão de verduras e legumes nas refeições pode ser muito bom para a saúde em geral e potente reforço para o combate ao sobrepeso, já que sabemos que a obesidade está entre os fatores de risco da Covid-19. Ao manter a rotina de preparar a própria refeição, cada um pode aprender receitas que incluam novos ingredientes ao cardápio para aprimorar a diversidade no prato. Outra dica útil, é consumir alimentos da estação. Além de baratear o orçamento doméstico, uma alimentação rica em produtos sazonais e típicos da região podem fortalecer o sistema imunológico. Aposte na comida de verdade!

Possui duas formações distintas, como consegue relacioná-las no dia a dia? Pode não parecer, mas são especialidades médicas que se conectam. Auxiliar uma pessoa no processo terapêutico, seja na retomada e na promoção da saúde, seja em casos onde só podemos oferecer conforto para pessoas no fim da vida me gratifica como médica.

Ingrediente favorito: na gastronomia é queijo. Quase um coringa da gastronomia. Já na vida, meus ingredientes favoritos são a reciprocidade e o otimismo. O primeiro nos dá acolhida e motivos para acreditar que “tudo vale a pena quando a alma não é pequena.” O segundo é fundamental para superar os desafios, enfrentar dificuldades e olhar com esperança para o futuro.

Você tem fome de quê? Do que nutre o meu corpo e a minha alma. 

Gostaria de ter sabido antes... que nada acontece por acaso

Um talento que ninguém conhece: gosto muito de trabalhos manuais, desde bordado até pilotar o fogão!

Traço marcante de sua personalidade? Determinação.       

Reflexão de cabeceira? “Felicidade é ter algo o que fazer, ter algo o que amar e ter algo que esperar.” (Aristóteles)

O que mais respeita no ser humano? O seu poder de autotransformação. 

Com que mensagem encara o mundo? A prevenção é o melhor tratamento para tudo na vida!

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros