Sociedade por João Pulita - Colunas do João Pulita - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

SOCIAL04/06/2020 | 06h10Atualizada em 04/06/2020 | 06h10

Sociedade por João Pulita

Veja a coluna social desta quinta-feira!

Sociedade por João Pulita Arquivo Pessoal / Divulgação/Divulgação
Gabriela e Evandro Scariot e Cíntia Bisol lançaram a Dhiop¿s Store Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação / Divulgação

Conversas

Débora Bregolin, pesquisadora, analista cultural, designer de moda e Mestra em Letras, Cultura e Regionalidade, iniciou uma série de lives intitulada Vem, passa um café! que ela apresenta em seu perfil no Instagram @deborabregolin_ O projeto, que teve início dia 28 de maio, com Fernanda Schulz, mestranda da Universidade do Minho, em Portugal, segue amanhã com a proposta que terá como protagonista Sabrina Leaes, radicada na Itália. Elas discorrerão sobre moda, comportamento e como está a Itália que já vive um cenário de pós pandemia. Na quinta-feira, dia 11, será a vez de um bate-papo sobre tendências na série que se chama Design&, com o professor da Uniftec Gilberto Broilo. Todas as transmissões estão disponíveis na plataforma IGTV para quem desejar o conteúdo.

Clique e confira outras edições da coluna social de João Pulita

A elegante pesquisadora e autora de uma série de obras, Véra Stedile Zattera, programa lançar, nesta segunda quinzena, o livro “Vestindo Moda”, no detalhe o broche outonal da folha de Plátano Foto: Ana Salvi / Divulgação

Nobreza

Patricia Dall Agno e seu entourage da Nobre’s Beer House realizam, sábado, a 2ª edição do projeto Chopp Contra a Fome. Nessa edição serão disponibilizados mil litros da bebida em troca de alimentos não perecíveis. A função ocorrerá entre 15h e 18h e promete movimentar os domínios da Rua Guerino Sanvitto, no Villagio Iguatemi. Em tempo: trocarão 2kg, ou mais, de alimentos por um litro de chopp.

Ariane Heinen e Rodrigo Ramos já ensaiaram o Dia dos Namorados, promovido por Carla Barcellos com almoço temático na Grand MaisonFoto: Diego Ferreira / Divulgação

Cabide

A Casa Anjos Voluntários, presidida por Isamar Ordovás Sartori, promoverá, neste fim de semana, o Brechó do Bem, entre as 9h e 17h. A função que ocorrerá, sábado, nos domínios da Rua Benjamin Custódio de Oliveira, 152, terá peças novas e seminovas para praticar o bem. Toda a renda arrecadada na ocasião será revertida para a entidade. Interessados em mais informações podem contatar pelo número (54) 99978-7046.

Reverenciado pâtissier, Jandir Triaca, criador da Cozinha do Bicca, produzindo intensamente doces afetivos durante a quarentenaFoto: João Pulita / Divulgação

Feliz Aniversário!

A festejada aniversariante desta quinta-feira, é Thais Norah Sartori Postiglione Peteffi que recebe, também, o carinho da coluna. Amanhã, os afagos giram em torno da conhecida ex-fashion designer, Rachel De Martini e da jornalista de moda, Patrícia Pontalti. No sábado, Karla Ferraro preparará os doces em causa própria.

.

Humano, demasiado humano!

Vinícius Victorazzi LainFoto: Juliano Vicenzi / Divulgação

O médico caxiense Vinícius Victorazzi Lain, 40 anos, filho de Valmor Lain e Ivonete Regina Victorazzi Lain, é a personificação do profissional que enxerga o paciente com olhar generoso e humano. Cirurgião Vascular e atual Diretor Técnico do Hospital da Unimed, não dissocia o envolvimento com a medicina e o amor pela família com acolhimento dedicado à esposa Evelyn Zignani e o filho deles, Augusto Zignani Lain. Siga a pulsação deste leonino que tem nas veias a sensibilidade da vida e o exercício da profissão!

O que tem sabor de infância? Ir nos fins de semana com toda família para a chácara do meu avô Nelson Victorazzi (in memoriam). A minha avó Geny Lain, também falecida, preparava um nhoque de sabor inesquecível.

Ao lado de quem gostaria de ter sentado na época da escola? Das celebridades, certamente Friedrich Nietzsche. Voo longe, enquanto leio seus livros, imaginando os mecanismos de raciocínio em um tempo muito diferente do nosso. Mas por falar em escola, uma boa parte da minha personalidade foi formada pelos meus colegas do Colégio São Carlos. Ninguém é famoso, mas muitos são meus amigos até hoje. Alguns espalhados pelo mundo, nos reunimos com frequência. Nossos filhos brincam juntos como nós fazíamos há mais de 30 anos. Sempre temos assunto e o silêncio é compreendido nos olhares.

Traço marcante de sua personalidade? Persistência na busca de encontrar meios de resolver problemas de forma diversa. Sou um inconformado com o status quo. Nada mais chato que uma vida previsível.

A melhor invenção da humanidade? A transmissão de conhecimento, seja de forma oral, escrita ou digital.

Com que mensagem encara o mundo? O conceito filosófico de Heráclito diz que não podemos nos banhar duas vezes em um mesmo rio, porque nem nós nem o rio seremos os mesmos. A fluidez com que o ser humano evolui nos coloca num local de aprendizado contínuo, na extraordinária capacidade de questionar a realidade e tentarmos melhorar sempre.

Do que precisa para ser feliz? Se felicidade for encarada como plenitude, nada é mais pleno que o olhar do meu filho Augusto prestando atenção no meu comportamento, me copiando e confiando em mim. A existência dele deslocou a minha própria, como o foco de tudo, um motivo para seguir em frente.

Gostaria de ter sabido antes... que a perseverança nos leva onde desejamos. Que os caminhos são difíceis, mas, pessoas incríveis passam por nossa vida e nos ajudam verdadeiramente a nos tornarmos melhores.

Frase máxima? “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”, de Carl Jung (1875-1961).

O que mais respeita no ser humano? A capacidade que temos de nos colocar no lugar do outro.

Qual a palavra mais bonita da língua portuguesa? Melhoramento.

Qual a passagem mais importante da tua biografia? Quando decidi ser médico. Não havia médicos na minha família, não tinha referências. Hoje, o olhar de gratidão de um paciente é um sentimento inexplicável.

Reflexão de cabeceira? Refletir o dia de hoje e o que pode ser feito melhor amanhã. Gosto de experimentar a sensação que passamos pouco tempo nesse mundo, que devemos ser intensos e sinceros.

Vinícius Victorazzi LainFoto: Juliano Vicenzi / Divulgação

Se tivesse vindo ao mundo com uma legenda ou bula, o que conteria nela? Vinícius: um ser imperfeito, que necessita de aprendizado contínuo!

Um hábito que não abre mão? Viajar e experimentar outras culturas, sabores e aromas. As referências tornam nossa plasticidade cerebral do tamanho do mundo.

Um projeto para o futuro? Ter um local para desenvolver projetos para mentes inquietas como a minha, repensar desde sentimentos até uma forma diferente de escovar os dentes.

Um beijo, um abraço e um aperto de mão: Beijo na minha esposa Evelyn e no nosso filho Augusto. Abraço de gratidão nos meus pais, Valmor e Ivonete. Aperto de mão a todos professores que dedicaram parte do seu tempo para que eu me tornasse uma pessoa melhor.

Quais têm sido os grandes desafios da medicina nos dias atuais? Associar técnicas avançadas com a capacidade de olhar no olho e tocar a alma humana. O futuro da medicina está no passado dela, em que o paciente tinha certeza que o médico o conhecia bem e se importava de forma integral.

Por que optou pela área vascular da Medicina? Adoro princípios de física e química e na vascular essa compreensão auxilia bastante. Mas, na realidade, desde o início da faculdade acompanhei o Dr. Marcos Ruzzarin, com quem trabalho até hoje, um exemplo de médico e ser humano, que me influenciou nesta escolha.

Quais são os maiores avanços no segmento? Tratamentos minimamente invasivos e procedimentos guiados por cateteres possibilitam retorno rápido às atividades diárias. No tratamento de varizes, o uso da radiofrequência possibilita resultados ainda mais estéticos.

De que forma considera que o mundo será impactado pós pandemia da Covid-19? Tenho medo que as pessoas se habituem ao distanciamento social. Gosto de estar perto de gente, música alta e diversão.

Como concilia a vida profissional e pessoal? Como encontrar o equilíbrio? Difícil. A medicina faz parte da minha vida. Não consigo separar as duas coisas. Agora, como diretor técnico do Hospital da Unimed isso se agravou. Me sinto muito bem dentro do hospital. Hoje, vejo tudo como uma coisa só. Não há parte de mim sem a medicina, como não há parte médica sem o afeto que tenho em família.

Um conselho para quem deseja ingressar na profissão? Olho nos olhos dos meus alunos de Medicina com admiração porque eles são 100% possibilidade. Mas é preciso amor às pessoas. Você pode ser um bom médico se estudar bastante, mas certamente não o será se não gostar dos seus pacientes.

Que músicas não saem da sua playlist? Algumas que marcaram tempos de aprendizado: Father and Son, Vento Negro, Imprecisão, Disritmia. E quem nunca dançou em um nascer de sol cantando Amigo Punk?

Qual a sua ideia de um dia perfeito? Reunir família e amigos, trocar ideias e cozinhar.

Qual é a sua melhor estação? Verão! Novos ambientes, reunião de amigos e praia.

Um defeito: Ainda me decepcionar com pessoas más e hipócritas.

Uma qualidade: Achar que tudo dará certo. Que concentração e conhecimento são capazes de mudar o mundo.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros