Sociedade por João Pulita - Colunas do João Pulita - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

SOCIAL26/05/2020 | 06h10Atualizada em 26/05/2020 | 06h10

Sociedade por João Pulita

Veja a coluna social desta terça-feira!

Sociedade por João Pulita Marcos Tietböhl Guazzelli / Divulgação/Divulgação
Em isolamento social na Fazenda Pedra Moura, em São José dos Ausentes, o caxiense acadêmico de Psicologia, Gabriel Del Savio Guazzelli, se diverte com suas mascotes Ursa e Paçoca Foto: Marcos Tietböhl Guazzelli / Divulgação / Divulgação

Clique e confira outras edições da coluna social de João Pulita

Espelho

Depois de 20 anos atuando na área comercial, Melissa Pizzetti sentiu a necessidade de se reinventar e empreender em seu próprio negócio. Ela contou para a coluna que foi um período de amadurecimento até definir qual área gostaria de seguir. Foi então que despertou para o setor da beleza. Para ela um desafio, ainda mais nesse momento de incertezas, mas sempre determinada e perseverante, aceitou investir nesse ambiente e se especializou em cílios e sobrancelhas, agora em seu espaço que ocupa o Centro Empresarial Recreio Cruzeiro. O objetivo da moça é estimular a autoestima feminina, utilizando técnicas para deixar as mulheres ainda mais encantadoras. Para Melissa, ingressar nesse universo é descobrir todo dia uma novidade, e já tem meta de ampliar o leque de serviços.

Em tempo de quarentena, Melissa Pizzetti se reinventa e lança proposta profissional ligada a área da beleza Foto: Natália Pontalti / Divulgação
Amantes das artes plásticas, Angelica e Cassiano Fantin foram conferir na Arte Quadros a exposição dos ícones gaúchos da escultura, Xico Stockinger e Vasco Prado Foto: Jucimar Milese / Divulgação

Emoções

As profissionais da saúde, a voluntária Suzana Vogel, a iridóloga e pedagoga Iracema Silva e a psicóloga Maria Marlene Faria tiraram oficialmente do papel, uma sonhada realização, no último dia 19. A novidade do trio é o projeto Espaço Casa Rosa, um ambiente instaurado nos domínios da Rua Maria Cristina Prux da Cruz, no Bairro Desvio Rizzo, onde elas atuam promovendo assistência emocional, social e espiritual focadas no público feminino e ancoradas por um trabalho de apoiadoras voluntárias, terapeutas, psicólogas e pastoras. O espaço é também ponto de encontro semanal para oficinas de artesanato e debates sobre temas pertinentes. Dedicam todas as terças-feiras, às 20h, para encontros de fé. O local é um canal aberto de aconselhamentos para mulheres com depressão. Saiba mais em @projetocasarosa.

Suzana Vogel, Iracema Silva e Maria Marlene Faria comandam o projeto assistencial Casa Rosa, destinado a mulheres Foto: Elizeu Reis / Divulgação
Amélia Barbosa celebrou, ontem, a chegada de seus 78 anos, rodeada pela família Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

.

O direito de ser!

Rodrigo Wisintainer BalenFoto: Isadora Bays / Divulgação

Nada instiga mais do que olhar o horizonte e saber o quanto ele ainda tem a te entregar. E, sim, você pode. Aos 44 anos, o bacharel em Direito, o caxiense Rodrigo Wisintainer Balen, sabe muito bem onde quer chegar, e, com toda a certeza, quem estiver com ele vai longe. Pai da Giulia, oito anos, e do Luca, quatro, mantém o mesmo olhar, apaixonado, pela mulher Paula Scortegana Balen. O amor à família e os princípios fortes trazidos de casa são os alicerces necessários para ter transformado a Balen Advocacia em referência. Criativo, sonhador e inquieto, esse pisciano leva muito a sério seus projetos e sabe que para construir o que quer, basta apenas um propósito: a sua vontade.

Qual a sua lembrança mais remota da infância e que sabor te remete essa época? Todas me remetem à Praia da Cal, em Torres/RS. Lá, a minha amada avó, Alesia Balen (in memoriam), nos esperava com seus bifes à milanesa, cujo sabor representava todo o seu afeto. Hoje, minha mãe, Margaret, relembra aos sábados, com todo carinho, aquele mesmo sabor.

Quem gostaria que tivesse sido seu professor no tempo de escola? Como acredito que tudo só depende de nós, escolho Napolen Hill, escritor norte-americano, autor de best-sellers como “Quem Pensa Enriquece” e “Mais Esperto que o Diabo”. Foi ele um dos precursores a mostrar ao mundo como podemos assumir a responsabilidade por nosso sucesso pessoal. Seu mantra é “o que a mente pode conceber e acreditar, ela pode alcançar”. Acredito muito nisso!

O que gostaria que todos soubessem: que somos os únicos responsáveis pela vida que temos levado. Que absolutamente tudo o que nos acontece, positiva ou negativamente, é fruto das nossas escolhas.

Gostaria de ter sabido antes: Que eu seria capaz!

Quais os requisitos básicos para ser um bom advogado? Não faça nada sem um propósito, sem um principio ético e moral. O dinheiro jamais é a causa, e sim, sempre, a consequência. Acredite nisso! Outra questão fundamental é o foco. Não existe mais espaço para aquele “clínico-geral”. O profissional tem que ser especialista naquilo que se propõe. 

Como começou a sua história profissional? Desde a minha infância, as questões imobiliárias sempre fizeram parte do meu cotidiano. Meu avô, Ítalo João Balen (in memoriam), foi quem começou este legado em 1947, quando foi aprovado, em primeiro lugar, no concurso público para Notários, tendo assumido a titularidade do Segundo Tabelionato de Notas de Caxias do Sul, o Cartório Balen. Foi neste Cartório, inclusive, onde, aos 14 anos, tive os primeiros contatos com esse universo, documentos e, sobre tudo, histórias de vida. Nos relatos que me eram trazidos no balcão do cartório, localizado à época ao lado do famoso Bar 13, que comecei a formar as minhas convicções e as soluções que hoje ofereço.

E neste cenário atual, consegue ver oportunidades? Sem dúvida. Devemos sempre estar atentos a elas. E nesse novo mundo, pós Covid-19, certamente, muitas aparecerão. Nós, como forma de auxiliar empresas que estão enfrentando uma crise neste momento, ou até antes disso, estamos lançando um novo projeto que é um produto voltado para esse segmento, pois entendemos que está cada vez mais difícil do empresário encontrar o seu ponto de equilíbrio. Tem muitas empresas que necessitam de uma opinião, uma visão, sobre outra ótica. Assim, unindo todas as nossas expertises, lançamos o “Suporte Empresarial 20.20”, que busca auxiliar o empresariado a enfrentar os tantos desafios. Não gosto de usar a palavra “crise”.

Defina seu trabalho em uma palavra: propósito.

Quem foi ou é sua grande influência? Foi e ainda é meu pai, Durval Luz Balen. Cada vez mais admiro a forma como ele lida com seus casos jurídicos, buscando caminhos e soluções diferentes daquelas usuais. É isso que me motiva a buscar sempre novas alternativas e a nunca desistir. Ele é meu grande conselheiro.

Quais são os seus planos para o futuro? Projetos audaciosos e desafiadores sempre me instigaram. Está em nosso escopo a abertura de filiais no Estado e no centro do país. Aqui na nossa região, iniciamos por Flores da Cunha, onde já no mês de junho inauguraremos uma filial. Bento Gonçalves e Novo Hamburgo serão as próximas.

Nestes anos de profissão, houve algum momento crítico em que foi preciso superar barreiras? Diante do meu principal defeito, que é a impulsividade, e minha maior qualidade, que é a criatividade, a empresa acabou crescendo muito rápido, exigindo de mim que optasse por deixar de lado meu potencial criativo para cuidar de questões burocráticas e administrativas, as quais não são o meu forte. Foi quando encontrei meu sócio, Alexandre Portolan, que veio a complementar o perfil que faltava na empresa. Hoje, somos uma união que deu certo, graças aos nossos perfis complementares. Enquanto eu voo com minhas ideias, ele fica na terra definindo a rota.

Essa é a chave do seu sucesso? Sem dúvida, pois somos uma equipe. Foi a integração de expertises que resultou na oferta de serviços agregados, possibilitando a entrega de uma solução efetiva às demandas que nos são apresentadas. Atualmente organizamos nossa empresa em núcleos. Também nos associamos a empresas de engenharia ambiental e projetos, contabilidade, coaching e avaliação patrimonial, visando sempre atender da forma mais completa possível.

Reflexão de cabeceira: “Ele não sabia que era impossível, foi lá e fez”.

Tem algum hobby? Tenho dois que já se tornaram compromissos. Um é o “Joker”, turma de poker que se reúne há quase 20 anos, todas as segundas-feiras, para jantar, dar risadas e para um bom carteado. Além, é claro, de assistir ao meu Grêmio, seja no estádio ou na televisão. Coisas indispensáveis e inegociáveis e a minha esposa, Paula, sabe bem disso (risos).

Se tivesse vindo ao mundo com uma legenda ou bula, o que conteria nela? Pessoa fiel aos seus e, sobre tudo, aos seus princípios.

Não vivo sem: a minha esposa, Paula, e os meus filhos Giulia e Luca. Minha família é meu tudo!

Qual a passagem mais importante da tua biografia e que título teria se fosse publicada? Passei quase dez anos fora de Caxias, em outros projetos completamente diferentes daquilo que faço hoje. Quando decidi voltar, me deparei com três oportunidades. Duas delas eu já conhecia, que era trabalhar no Cartório Balen, ou advogar como funcionário no escritório do meu pai. Felizmente optei pela terceira que foi abrir o meu próprio negócio. Iniciei sozinho e hoje, entre sócios, colaboradores e empresas associadas, somos quase 100! O título seria “A Escolha Certa”.

Melhor invenção da humanidade: São tantas, mas a integração global que a Internet trouxe me obriga a elegê-la. 

Filme para assistir inúmeras vezes: A trilogia dirigida por Steven Spielberg, “De Volta para o Futuro”. 

Quais músicas não saem da sua playlist? Tenho um gosto musical muito eclético, à exceção de eletrônica e funk, o resto eu curto.

Uma palavra chave: faça!

Traço marcante de sua personalidade: sou extrovertido e sociável. Transito bem em todos os ambientes.

Qual a palavra mais bonita da Língua Portuguesa? Fidelidade.

Um hábito que não abre mão? Rezar com meus filhos antes de dormir e agradecer o dia que tivemos.



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros