Ronco do Bugio, em São Francisco de Paula, homenageia o gaiteiro Edson Dutra - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Música gaúcha06/07/2015 | 17h21

Ronco do Bugio, em São Francisco de Paula, homenageia o gaiteiro Edson Dutra

Festival ocorre de 10 a 12 de julho

Ronco do Bugio, em São Francisco de Paula, homenageia o gaiteiro Edson Dutra Divulgação/Divulgação
Acordeonista de Bom Jesus foi idealizador do Ronco do Bugio Foto: Divulgação / Divulgação

O ano era 1986 e as noites geladas daquele mês de maio eram o prelúdio do inverno em São Francisco de Paula. Alheio ao frio de renguear cusco, Edson Dutra comemorava: sob uma lona de circo, era dada a largada do 1º Ronco do Bugio, tendo como jurados os acordeonistas Honeyde Bertussi e Albino Manique, entre outros. Vinte e nove anos e 23 edições depois, o líder do conjunto Os Serranos volta ao festival que idealizou como homenageado no próximo final de semana. Como se não bastasse essa volta no tempo, o gaiteiro de Bom Jesus que canta a cultura dos Campos de Cima da Serra avisa: dançará, pela primeira vez depois de 20 anos, um baile com a esposa, Raquel.

Confira as músicas classificadas para o Ronco do Bugio

Os serranos de São Chico não sabem, mas por pouco não perderam o Ronco para uma cidade vizinha.

— Ofereci a ideia do festival para o prefeito de São Francisco, Luiz Antônio Salvador, que disse não ter verba. Fui a Canela, fiz a mesma proposta e recebi a mesma resposta. Voltei chateado para Porto Alegre. No outro dia, tinha um carro da prefeitura de São Chico para me levar de volta à cidade. O prefeito ficou sabendo que estive em Canela, se arrependeu e abraçou o festival — lembra Dutra.

A edição de 2015 traz a imagem de Dutra ao lado de três bugios - os animais, não o ritmo - que se aquecem ao lado do tradicional Monumento à Cuia, em um desenho do poeta e tradicionalista Léo Ribeiro de Souza. É forma da cidade bradar que o único ritmo criado no Estado tem origem serrana. O fole da gaita imita o ronco do bicho. A paternidade do ritmo é disputada com São Francisco de Assis, mas vem dos Irmãos Bertussi o primeiro registro em disco de um bugio: Casamento da Doralice, do álbum Coração Gaúcho, de 1955.

Doze canções disputam o maior troféu do festival, que recebeu o nome de Morada do Bugio em alusão à canção de mesmo nome, de Emerson Becker Dutra e João Francisco Becker, respectivamente irmão e primo de Edson Dutra, que concorreu no segundo ano do festival. Para contar a história do Rio Grande do Sul na música, o evento abre espaço para Paulo Siqueira e Itajaiba Mattana, outras lendas da música serrana. Vida longa ao bugio.

Agende-se: 24º Ronco do Bugio e 3º Ronco do Bugiozinho
Quando: 10 a 12 de julho
Onde: CTG Rodeio Serrano, São Francisco de Paula
Entrada: Gratuita. Mesas com quatro lugares são comercializadas (R$ 100 por noite ou R$ 250 o pacote para as três noites)
Informações: (54) 8145.1259

Programação
10 de julho (sexta) - a partir das 19h30min:
- Abertura oficial
- Show Marcio Correia e Grupo
- Composições concorrentes
- Baile com Zezinho e Grupo Floreio

11 de julho (sábado) - a partir das 20h
- Show Teixeirinha Filho e Neto - Recordando Teixeirinha
- Composições concorrentes
- Baile com Jardel Borba e Grupo Brasil de Bombacha

12 de julho (domingo) - a partir das 19h30min
- Show Oscar dos Reis - instrumental
- Todas as composições concorrentes
- 3º Ronco do Bugiozinho - concorrentes
- Show do Intervalo: Itajaiba Mattana e os Cobras do Teclado/ Paulo Siqueira
- Entrega da premiação

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros