Centenário de Aldo Locatelli será comemorado em agosto, em Caxias - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Arte sacra22/05/2015 | 17h01

Centenário de Aldo Locatelli será comemorado em agosto, em Caxias

Italiano deixou pinturas em diversos locais, da Igreja São Pelegrino ao Palácio Piratini

Centenário de Aldo Locatelli será comemorado em agosto, em Caxias Roni Rigon/Agencia RBS
Na igreja caxiense, italiano deixou vários traços, do altar ao teto e à Via Sacra Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Maristela Scheuer Deves, especial para o Pioneiro

maristelascheuerdeves@hotmail.com

Uma sessão solene na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, no dia 18 de agosto, será o ponto alto das comemorações do centenário de nascimento do pintor italiano Aldo Daniele Locatelli, responsável pelas pinturas da Igreja São Pelegrino, em Caxias, e de dezenas de outros locais, sacros ou não, em várias cidades gaúchas, além de Itajaí (SC) e São Paulo (SP).

Nascido a 18 de agosto de 1915 em Villa d'Almè, Itália, Locatelli chegou ao Brasil em 1948, para decorar a Catedral São Francisco de Paula, em Pelotas. Nos anos 1950, realizou diversas pinturas na mais visitada igreja caxiense, a São Pelegrino, incluindo a Santa Ceia, o Juízo Final, a representação em desenho e versos do Dies Irae; é dele também a Via Sacra dessa igreja, pintada em seu atelier em Porto Alegre entre 1958 e 1960.

Entre seus trabalhos, destacam-se ainda a pintura das catedrais de Santa Maria e Novo Hamburgo, os diversos painéis retratando a lenda do Negrinho do Pastoreio, no Palácio Piratini, o mural A Conquista do Espaço e o óleo sobre tela Epopeia da Vida no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, e o mural Do Itálico Berço à Nova Pátria Brasileira, no antigo prédio da Festa da Uva (hoje, prefeitura de Caxias do Sul).

— Se pensarmos em termos de pintura sacra no Brasil, no Século 20, é um conjunto único, pois tanto em quantidade como em qualidade não existe outro no Brasil que se compare — avalia o professor Arnoldo W. Doberstein, pesquisador do Instituto Cultural Emilio Sessa (ICES), destacando ainda que a alta produtividade se deve também ao trabalho em equipe, com parceiros como Sessa.

Para a pesquisadora Véra Stedile Zattera, que publicou em 1990 o primeiro livro sobre o pintor e conhece "95% da obra dele", por ter refeito seus passos antes de escrever, a obra magna de Locatelli está em Caxias: as Doze Estações da Via Sacra, pintadas entre 1958 e 1960.

— Ela mostra a maturação do artista. Ali, é ele que está pintando, colocando o seu estilo — diz.

Dentro das comemorações do centenário, a paróquia São Pelegrino o homenageia na missa de sua tradicional festa anual, em 2 de agosto. Na mesma data, será reinaugurada a Casa de Memória, sob a igreja, com destaque para o Espaço Aldo Locatelli, contendo fotos, esboços originais das pinturas, sua história, cartas trocadas entre ele e o padre Giordani e até mesmo livros com os valores pagos pela obra.

Na véspera do centenário, dia 17 de agosto, está programada a estreia do filme Ego Sum!, de Waner Biazus, que tem as pinturas do teto da igreja como inspiração — a exibição será às 20h, em São Pelegrino, aberta ao público. No dia 18, durante a sessão da Câmara, deverá ser entregue a honraria Aldo Locatelli: 100 Anos de História e Legado. A ideia é que sejam homenageadas cinco personalidades da arte e cultura caxiense que tenham relação com a vida, obra e história do pintor.

Confira um vídeo da inauguração da Via Sacra, ocorrida em 22 de maio de 1960.
 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros