Mostra artística em Caxias traz material contra a opressão - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Contestação política04/03/2015 | 16h48

Mostra artística em Caxias traz material contra a opressão

Exposição 'Um Firme e Vibrante NÃO' abre sábado na Galeria do Ordovás

Mostra artística em Caxias traz material contra a opressão Reprodução/Divulgação
Obra de Alexandre Navarro Moreira, um dos destaques da mostra Foto: Reprodução / Divulgação

Inconformação, transgressão e ativismo estético e político estão em pauta na exposição Um firme e Vibrante NÃO, que abre sábado, às 18h, na Galeria de Artes do Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho. Estão na coletiva trabalhos de nomes como Cildo Meireles, Regina Silveira e Antonio Dias.

— Os trabalhos são de várias procedências, na maioria, coleções particulares. Mas também há trabalhos que foram comissionados para a exposição. Caxias receberá toda a mostra que foi vista em Porto Alegre com acréscimo de trabalhos, como os cartazes do Grupo KVRH (1978-1980) e a série fotográfica de Telmo Lanes, Íntimo Exterior (1978) — explica um dos curadores da exposição, o jornalista, mestre em Artes Visuais e coordenador artístico da Galeria Ecarta, Leo Felipe, que divide a curadoria com Jorge Bucksdricker, graduado em Filosofia, mestre em Epistemologia e doutorando em Artes Visuais.

Segundo Felipe, a ideia de transgressão está muito presente na mostra, a começar pela própria coleção da qual parte a exposição que registra uma forma particular - e militante - de fazer arte no Brasil anos anos 1970. 

— A arte-correio surge no Brasil como forma de driblar a censura, ativar redes internacionais de ativismo, fugir dos sistemas tradicionais de exposição, uma transgressão do sistema — diz.

Assim, além de promover um registro histórico, a mostra debate e explicita alternativas de criação que contemplam crítica, humor, sarcasmo a insubordinação.  São mais de 40 artistas, alguns - como Paulo Bruscky, tem mais de um trabalho exposto, mas a regra é um trabalho por artista. A base da mostra são trabalhos em papel, mas há pintura, instalação, fotografia, objeto e vídeo. 

— Nesse ponto, até mesmo a contagem de artistas/trabalhos é um pouco complexa. Por exemplo: a revista Navilouca, editada por Torquato Neto e Waly Salomão, deve ser considerada um trabalho ou vários, em virtude dos colaboradores? — problematiza o curador.

Serviço

O que: exposição 'Um Firme e Vibrante NÃO'
Quando: abertura sábado, às 18h. Visitação até o dia 11 de abril, de segunda a sexta, das 9h às 18h, e sábado, das 15h às 18h
 Onde: Galeria de Artes do Centro de Cultura Ordovás (Luiz Antunes, 312)
Quanto: entrada franca
Visita guiada com os curadores: sábado, às 16h

Artistas participantes
3Nós3, Adriano Rojas, Antonio Dias, Alex Vieira, Alexandre Navarro Moreira, Artur Barrio, Carlos Asp, Carlos Pasquetti, Caroline Barrueco, Cildo Meireles, Claudio Goulart, Clóvis Dariano, Daniel Eizirik, Edgardo Vigo, Edson Barrus, Fabiana Faleiros, Flávia Felipe, Horacio Zabala, Hudinilson Jr., Jesus Gadamez Escobar, João Kowacs, Joaquim Branco, Jorge Caraballo, Julio Plaza, Lenora de Barros, Leonhard Frank Duch, Lourival Cuquinha, Luiz Rettamozo, Luiz Roque, Luiza Só, Milton Kurtz, Moacy Cirne, Nelson Rosa, Paulo Bruscky, Regina Silveira, Ricardo Aleixo, Roberto Traplev, Rogério Nazari, Telmo Lanes, Ulises Carrion e Vera Chaves Barcellos.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros