Almanaque deste fim de semana mostra festa de casamento planejada para diminuir impacto no meio ambiente - Pioneiro

Versão mobile

Pensamento coletivo02/05/2014 | 17h01

Almanaque deste fim de semana mostra festa de casamento planejada para diminuir impacto no meio ambiente

De modismo a coisa séria: dar toques verdes no casamento amplia conscientização ecológica

Almanaque deste fim de semana mostra festa de casamento planejada para diminuir impacto no meio ambiente Cicero Cavalli/divulgação
A cerimônia e a festa seguiram os princípios da sustentabilidade Foto: Cicero Cavalli / divulgação

Elas não têm nada de ecochatas. Não vão decorar a festa só com folhas recolhidas do chão, não andarão coladas nos convidados juntando cada papel jogado fora do lixo e não darão discurso no lounge por você estar fumando ou usando uma roupa de tecido tingido com química forte. As noivas ecologicamente conscientes fogem dos clichês de chatice e pegação de pé customeiramente aplicados em cima de quem protege e tenta espalhar a cultura do respeito à natureza. Elas podem até fazer alguma das coisas listadas acima, mas veem o momento especial de seu casamento não como uma plataforma de defesa de ideias, mas como a possibilidade de conscientizar amigos e familiares sobre um assunto que defendem e prezam com muito carinho.

Os casamentos eco friendly já estiveram mais em voga, é verdade. Mas passada uma fase de todo mundo aderir à onda do papel reciclado e das plantinhas como lembrança, a moda do momento sobrou apenas quem realmente acredita na ideia. É o caso de Mariana Giongo Duda, a linda noiva que estampa estas páginas. No último dia 26, a gaúcha de Passo Fundo fez de sua troca de alianças com Leo Garcia um momento de celebração à sustentabilidade. No caso dela, o casamento foi uma extensão da cultura ecológica que pratica todos os dias. Empresária e diretora criativa de uma marca de moda sustentável, a Envido, ela construiu a carreira em cima de convicções relacionadas à proteção do ambiente natural que nos cerca. Para os amigos, era claro que a festa seguiria a mesma linha.

- Em todos os momentos eu sempre busco aliar alternativas ecológicas à minha vida. A organização do evento foi um desafio pra mim, para a decoradora e para a nossa cerimonialista. Nós acreditamos nesse propósito e encontramos formas de criar um casamento sustentável sem deixar de lado o charme que um evento desse porte pede- conta Mariana, que enquanto você lê essa reportagem já está curtindo a lua de mel na Tailândia, um paraíso, é claro, famoso por belezas naturais.

Você não imaginaria uma noiva sustentável em lua de mel em Hong Kong, não é? O primeiro passo de Mariana rumo à festa verde foi convencer a família também a adotar a ideia. O que, por histórico de vida, não foi tão complicado, conta a noiva:

- O Leo não é tão ligado à sustentabilidade como eu, mas aceitou todas as minhas ideias porque não fui radical. Minha família é do interior, e a gente sempre deu vida nova aos objetos já utilizados, sempre reaproveitamos alimentos, então eles estão acostumados com esse conceito. Tanto meu noivo como as nossas famílias viram com bons olhos e também curiosidade essa iniciativa. A gente precisou usar a criatividade para produzir esse acontecimento tão importante nas nossas vidas.
 
A organização do casamento começou a ser tocada da casa que Mariana e Leo dividem na zona sul de Porto Alegre. Entre seus três buldogues ingleses_ que participaram do casamento - e muitas plantas, se debruçaram primeiro sobre a escolha do local da festa. Ela tinha que ser estratégica e passar a ideia de acolhimento que os ambientes ao ar livre trazem.
 
A eleita foi a Praia do Rosa, em Santa Catarina, um dos principais destinos de quem, como Mariana e Leo, pensam em dar toques ecológicos à união. O local tem grande preocupação com a preservação do ecossistema e da biodiversidade local (o som mecânico da festa termina à uma hora da manhã para que os animais que habitam a praia sejam menos afetados pelo evento). Marcaram a festa para o dia, economizando luz elétrica, seguida por um luau à luz de velas, produziram os convites em papel reciclado e começaram a busca por serviços que se adequassem ao conceito do casamento.

Veja mais detalhes sobre o casamento da Mariana e do Leo na edição impressa do Almanaque deste fim de semana.

 
 

Siga Pioneiro no Twitter

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros