Versão mobile

Lord04/03/2013 | 17h01

Músicos caxienses falam de sua relação com a obra de Elton John

Britânico se apresenta nesta terça, em Porto Alegre

Enviar para um amigo
Músicos caxienses falam de sua relação com a obra de Elton John Roni Rigon /Agência RBS
Fran Duarte está ansiosa para ver Elton John Foto: Roni Rigon / Agência RBS

O tecladista Graziano Anzolin, 32 anos, não pode nem ouvir falar do show de Elton John em Porto Alegre (que ocorre nesta terça). Ele vai perder porque tem um compromisso inadiável com sua banda, a Electric Blues Explosion.

— Temos gravação do nosso DVD no dia 5 e 6, sou um fã em depressão — brinca ele.

Anzolin conta que é influenciado pelo britânico a vida toda. Ele prefere as canções da década de 1970, o disco que mais gosta é Honky Château (1972), mas pondera que Elton John é um "ícone da história da música".

— Ele conseguiu fazer a ligação entre vários estilos, é um grande artista. Você começa a pensar em Elton John e é uma música melhor que a outra, tem que respeitar o "lord" — diz o músico.

— O mais legal é que você não consegue definir se ele é pop, blues. Acho isso muito massa, o tipo de sonoridade que ele cria — complementa a cantora Fran Duarte, 35.

Ela vai fazer inveja a Anzolin quando contar ao amigo tudo que rolou no show. Assim que ficou sabendo da apresentação do britânico na Capital, Fran nem pensou em perder.

— Elton sempre tocou na minha casa. Lembro que meu pai tinha um disco em que ele aparecia com aqueles óculos engraçados na capa, e tinha aquela música Don't Let the Sun Go Down on Me — recorda ela.

A cantora também interpreta Elton John nos shows — a clássica Tiny Dancer é garantida no repertório. Porém, há pelo menos um sucesso do pianista que combina mais com outro ambiente, as igrejas.

— Your Song é a top de linha dos casamentos, é uma música linda — conta.

As duas, provavelmente, estarão no repertório que o compositor Le Daros vai apresentar no show especial Grandes Nomes Elton John, previsto para a programação do segundo semestre no Zarabatana Café.

— Eu ouvia Elton John bem gurizinho no rádio, lembro de Goodbye Yellow Brick Road e Skyline Pigeon. É difícil dizer qual a melhor fase dele, mas se tiver que escolher diria os 1970, por esta questão afetiva — aponta.

O músico resume o provável segredo da solidez da carreira do britânico:

— Ao contrário de muitos artistas do mundo pop, ele não é forjado. É aquilo ali mesmo!

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Pioneiro no Twitter

clicRBS
Nova busca - outros