Pesquisa do Governo do Estado reforça importância da economia produtiva da música - Colunas da 3por4 - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

3por428/05/2020 | 11h31Atualizada em 28/05/2020 | 11h31

Pesquisa do Governo do Estado reforça importância da economia produtiva da música

Números mostram impacto do setor para a economia

Pesquisa do Governo do Estado reforça importância da economia produtiva da música Breno Dallas/Divulgação
Festival Música de Rua 2019, em Caxias, teve financiamento da LIC RS Foto: Breno Dallas / Divulgação

A cadeia produtiva da música está no centro de uma pesquisa realizada pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) do RS. Com números divulgados na última quarta (27), o estudo demonstra o forte potencial de impacto do setor na economia do Estado e, assim, pretende fortalecer a implementação do RS Criativo, programa do governo do Estado dedicado à economia criativa. Veja abaixo alguns dados bem interessantes revelados pela pesquisa, que utilizou como base de informações as prestações de contas de eventos musicais beneficiados pela Lei de Incentivo à Cultura (LIC) entre 2014 e 2019. 

NÚMEROS
:: A cada R$ 100 destinados a eventos musicais, R$ 44,50 são utilizados para pagamentos de artistas e de pessoal diretamente envolvidos na produção, enquanto R$ 55,50 movimentam setores de outras áreas da economia como comércio, indústria e serviços.

:: Apesar da dificuldade apresentada pelos trabalhos informais, a pesquisa apontou 64 ocupações profissionais, considerando artistas e equipes de produção, envolvidas na realização de eventos musicais.

:: São 46 diferentes tipos de empreendimentos (como de som, luz, estrutura, transporte, hospedagem, alimentação) movimentados com a realização de um projeto, o que beneficia, em especial, as micro e pequenas empresas locais.

:: 71,2% desses projetos foram desenvolvidos em cidades do interior do Estado e 59,5% dos recursos alocados nestes eventos ficaram no interior gaúcho

:: O interior concentrou um número maior de eventos, mas com dimensões menores, com média de R$ 202,2 mil por projeto. Na Capital e Região Metropolitana foram menos projetos, mas com média de gastos de R$ 339,95 mil.

Leia também
Conheça o som do rapper farroupilhense Mc Dalí
Dell Anno mostra nova coleção e showroom
Grupo caxiense Quiquiprocó inicia série de vídeos com brincadeiras e atividades para a criançada
André Costantin: Rio Tega
Projeto caxiense Drum Beat Dance mostra primeiro som nesta quinta
Live solidária dos caxienses da Yangos é atração nesta quinta-feira, nas plataformas do Sesc-RS
Site antecipa novidades sobre o documentário bento-gonçalvense "Nem Eu Sei Tudo"

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros