Um dos mais tietados no tapete vermelho, Du Moscovis fala sobre o filme "Veneza" - Colunas da 3por4 - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

3por423/08/2019 | 11h29Atualizada em 23/08/2019 | 19h35

Um dos mais tietados no tapete vermelho, Du Moscovis fala sobre o filme "Veneza"

Ele passou pelo Festival de Cinema de Gramado na noite de quinta

Um dos mais tietados no tapete vermelho, Du Moscovis fala sobre o filme "Veneza" Edison Vara / Agência Pressphoto, Divulgação/Agência Pressphoto, Divulgação
Foto: Edison Vara / Agência Pressphoto, Divulgação / Agência Pressphoto, Divulgação

O ator Eduardo Moscovis foi um dos mais tietados pelo público na noite de quinta, no tapete vermelho do 47° Festival de Cinema de Gramado. Ele esteve na cidade para lançar o filme Veneza, com direção de Miguel Falabella. No contato com o público, Du foi chamado de "Nando", nome de seu personagem na novela Por Amor, de 1997; e até teve que fazer "olhar de gato", em referência ao seu último trabalho na televisão, a novela O Sétimo Guardião.  

Ao Pioneiro, Du relacionou a temática do filme como uma espécie de resistência ao momento difícil para as artes no Brasil.

Leia mais
Em Gramado, Miguel Falabella lê carta aberta em apoio ao cinema brasileiro
Filme de Miguel Falabella terá festa oficial em Gramado

— Acho que a força vem do lúdico, do poético. Num momento tão árido nosso, literalmente, tão seco... Acho que a gente poder sonhar e correr atrás desse sonho e fazer com que ele se realize é a proposta. A gente, nas nossas vidas brasileiras, tem que sair atrás, botar a cara tapa e vamos nessa — disse.  

O ator também falou sobre a sorte de estar ao lado de tantas figuras femininas potentes em Veneza. No filme, ele divide cena com Danielle Winits, Dira Paes, Carol Castro e com a espanhola Carmen Maura (musa de Pedro Almodóvar): 

— Partindo de Carmen Maura, que é uma atriz tão experiente, tão renomada, assim como uma referência do universo Almodóvar de tanto tempo; e passando pela Dira, que também é uma referência do cinema nacional já de tanto tempo e com que eu nunca tinha conseguido trabalhar... Na verdade, fui um felizardo por tudo, de ter sido convidado pelo Miguel, poder fazer o filme e exercitar essa arte de contracenação, criação de personagem. Teve muita gente generosa, conseguimos agregar pessoas legais, foi muito bom. 

Leia também
"É um movimento de vida estar aqui", diz Danielle Winits no tapete vermelho
Larissa Manoela fala sobre o legado de Hebe Camargo
Thiago Lacerda, Murilo Rosa e Fernando Alves Pinto são embaixadores do cinema gaúcho

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros