Prefeitura de Caxias gasta mais com café do que com projetos do Financiarte - Colunas da 3por4 - Sete Dias: agenda cultural, shows, exposições e mais
 
 

3por407/06/2019 | 14h30Atualizada em 07/06/2019 | 14h30

Prefeitura de Caxias gasta mais com café do que com projetos do Financiarte

Reportagem do Pioneiro mostrou que gasto com a bebida nos setores do Executivo, em 2018, foi de R$ 163,6 mil

Prefeitura de Caxias gasta mais com café do que com projetos do Financiarte Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Apenas quatro projetos foram contemplados neste ano Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A prefeitura de Caxias do Sul divulgou, nesta sexta-feira (7), o valor de investimento para o Financiamento da Arte e Cultura de Caxias do Sul (Financiarte), principal ferramenta de fomento municipal na área. Dos 23 projetos inscritos, apenas quatro foram contemplados, totalizando R$ 91,4 mil de investimento. Trata-se do menor valor já aplicado nos projetos (para se ter uma ideia, a primeira edição do então chamado Fundoprocultura, em 2003, injetou R$ 377,3 mil em 32 projetos aprovados). 

Leia mais:
Na Serra, prefeitura de Caxias é a que mais gasta com cafezinho; Farroupilha é a segunda
Prefeitura de Caxias do Sul divulga projetos contemplados pelo edital 2018 do Financiarte
Financiarte sem previsão de investimento mínimo para projetos culturais é regulamentado

O declínio nos valores disponibilizados pelo edital teve início com a derrubada da obrigatoriedade de investimento mínimo de 50.000 Valores de Referência Municipal (VRM) no edital do Financiarte, decisão oficializada neste ano. Na última quinta-feira, reportagem do Pioneiro assinada pelo jornalista Adriano Duarte mostrou que a prefeitura gastou R$ 163,6 mil na compra de café e açúcar consumidos em espaços públicos do Executivo em 2018. Fazendo a conta, podemos concluir que a prefeitura está investindo quase 80% a mais em café do que no fomento à cultura.

A previsão inicial da SMC era de disponibilizar R$ 150 mil para o edital atual do Financiarte. O valor acabou sendo ainda menor, deixando de fora pelo menos quatro projetos que estavam habilitados (com documentação correta), mas que não foram recomendados pelas Comissões de Avaliação, Seleção e Fiscalização (Casf). Os demais inscritos foram considerados inabilitados. Ou seja, não corresponderam aos quesitos técnicos e documentações requeridas pelo edital.  

Veja histórico dos investimentos do Fundoprocultura/Financiarte 

:: Em 2003: R$ 377.338, 59
32 contemplados, 97 inscritos
:: Em 2004: R$ 427.341,55
37 contemplados,114 inscritos
:: Em 2005: R$ 614.468,57
48 contemplados, 149 inscritos
:: Em 2006: R$ 696.030,55
49 contemplados, 143 inscritos
:: Em 2007: R$ 817.230,31
62 contemplados, 149 inscritos
:: Em 2008: R$ 895.526,75
60 contemplados, 148 inscritos
:: Em 2009 (mudou para Financiarte): R$ 893.159,13
56 contemplados, 174 inscritos
:: Em 2010: R$ 1.164.244,40
63 contemplados, 176 inscritos
:: Em 2011: R$ 650.304,59
32 contemplados, 99 inscritos
:: Em 2012: R$ 1.520.001,85
77 contemplados, 158 inscritos
:: Em 2013: R$ 1.031.224,20
43 contemplados, 107 inscritos
:: Em 2014: R$ 2 milhões
57 contemplados, 101 inscritos
:: Em 2015: R$ 2 milhões
65 contemplados, 137 inscritos
:: Em 2016: R$ 2 milhões
71 contemplados, 139 inscritos
:: Em 2017: R$ 600 mil
18 contemplados, 184 inscritos
: Em 2018: 91,4 mil
4 contemplados, 23 inscritos 

Leia também:
Veja a agenda cultural para este final de semana 
Nivaldo Pereira: pés para andar
Humorista Léo Lins apresenta espetáculo "Bullying Arte" no domingo, em Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros